Links de Acesso

Oposição são-tomense pede que PR respeite os votos expressos nas urnas


Arlindo Carvalho

MLSTP-PSD e coligação PCD-UDD-MDFM garantem ser maioria no Parlamento

O MLSTP-PSD e a coligação PCD-UDD-MDFM pediram ao Presidente da República são-tomense que interprete correctamente a "decisão soberana" do povo nas urnas de modo a evitar que o país entre num ciclo de "instabilidade sem precedentes".

O posicionamento, em comunicado, daquelas forças políticas, na oposição, acontece depois de o líder do ADI, no poder, Patrice Trovoada, ter afirmado estar pronto a formar um Governo minoritário.

Arlindo Carvalho, líder da coligação, afirmou que depois de ter perdido oito dos 33 deputados o “ADI foi o grande perdedor daseleições",

"Neste contexto, espera-se que o Presidente da República entenda claramente essa mensagem do povo e aja em conformidade, evitando de forma responsável que o país entre num ciclo de instabilidade sem precedentes", acrescentou Carvalho nesta segunda-feira, 12.

Para a coligação, "o país está sem Governo e sem norte”.

“A situação económica e social deteriora-se a cada dia. A crise de energia provoca paralisação dos serviços públicos e agrava o empobrecimento da população em geral, assim como dos pequenos empresários que teimam em sobreviver", disse Arlindo Carvalho, para quem "o ADI e o seu chefe têm que fazer uma leitura correcta dos resultados eleitorais, pois o país tem uma nova maioria, fruto do acordo de incidência parlamentar entre o MLSTP-PSD e a coligação".

Depois do regresso ao país no sábado, 10, do primeiro-ministro cessante, Patrice Trovoada, o Conselho Nacional do ADI recomendou ao partido a formação de um Governo minoritário.

Trovoada chegou a defender um acordo com o MLSTP/PSD que garante a estabilidade governativa para os próximos quatro anos.

A instalação do novo Parlamento são-tomense está marcada para 22 de Novembro.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG