Links de Acesso

ONU alerta que próximos três dias são críticos para Moçambique


"Nenhum país está preparado para algo do tipo", diz representante do PMA

O coordenador de emergência do Programa Mundial de Alimentação (PM), Pedro Matos disse nesta terça-feira, 19, que a situação em Moçambique “é uma coisa nunca vista", enquanto o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, nas siglas em inglês) alertou que as próximas 24 horas serão "críticas" para Moçambique, devido aos efeitos do ciclone Idai.

Pedro Matos explicou à ONU News que “nem Moçambique nem nenhum país do mundo está preparado para responder a uma tragédia desta dimensão".

O OCHA, por seu lado, disse em comunicado haver "um elevado risco de inundações em zonas urbanas da Beira e do Dondo", no centro de Moçambique, depois da passagem do cyclone Idai.

As autoridades moçambicanas indicaram que, pelo menos, 267 salas de aula e 24 unidades de saúde foram afectadas nas províncias de Sofala, Manica, Zambézia e Inhambane, enquanto 90 por cento das infraestruturas da cidade da Beira e arredores foi destruído.

Na segunda-feira, o Presidente Filipe Nyusi admitiu que o número de mortos pode ascender a mil, enquanto um milhão e 500 mil pessoas correm perigo.

O Governo moçambicano decretou emergência nacional e luto oficial de três dias a partir desta terça-feira.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG