Links de Acesso

"O meu único problema é com Adalberto Costa Júnior”, David Mendes


David Mendes, advogado e deputado angolano

Deputado acusa presidente da UNITA de lhe faltar ao respeito e de "ralhar comigo"

O deputado angolano David Mendes confirmou que já não é parlamentar pela UNITA e numa conversa com jornallistas esclarecer que o seu problema não é com o partido, mas sim com o seu líder, Adalberto Costa Junior.

David Mendes confirma desacordos com líder da UNITA - 2:13
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:13 0:00

No início da semana David Mendes tinha anunciado essa decisão por alegadas “divergências de pensamento”, com o presidente do partido.

Mendes aludiu ainda a censura às suas intervenções no Parlamento e o facto de, supostamente, a direcção da UNITA não ter oficialmente manifestado solidariedade diante das ameaças de morte que David Mendes afirma terem sido proferidas por jovens manifestantes.

"A forma como o presidente Adalberto tratou este assunto comigo faltou-me ao respeito, ralhou-me, (e isso) acelerou a minha posição de deixar o grupo parlamentar da UNITA”, disse David Mendes acrescentando não ter "contradição nenhuma com a UNITA".

David Mendes garante que, ao contrário do que se propala, não vai para o MPLA e a sua consciência não está à venda.

"Dizem que eu teria sido comprado por João Lourenço, eu acho que José Eduardo dos Santos tinha mais dinheiro que João Lourenço e não conseguiu comprar-me”, afirmou o deputado.

“Eu sempre fui recto, o meu compromisso é com a nação, não há dinheiro que compre a minha consciência", afirmou Mendes, quem acrescentou: "Todos os cenários são possíveis para o meu futuro menos ir para o MPLA".

David Mendes revelou que várias publicações nas redes sociais são pagas pelo actual presidente da UNITA e disse ter provas.

Quanto à ameaça de morte que sofreu, o agora deputado independente disse que isso foi publicado numa página da UNITA pelo que compete à Procuradoria Geral da República iniciar uma investigação sem que ele tenha que apresentar queixa.

"Ameaça de morte contra um deputado é crime público, não é preciso uma queixa e não vou fazê-lo, salvo se a PGR não agir e aí sim vou fazer uma reclamação a PGR", prometeu.

A VOA tentou falar com o presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, mas não obteve resposta.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG