Links de Acesso

No dia de África a realidade amarga da economia


Só 16 países africanos têm as suas contas em dia e isso afecta a possibilidade de se conhecer a estrutura económica dos países africanos, disse em Luanda o economista guineense Carlos Lopes.

Falando ma capital angolana o economista disse que apenas 60% dos africanos têm registo civil e isso leva a que milhões de pessoas vivam totalmente ea obscuridade sem qualquer transacção formal, acrescentando que só 1% das terras estão registadas nos cadastros oficiais.

“Se nós não conhecemos a terra, não conhecemos as pessoas e não conhecemos as economistas o que é que conhecemos?” interrogou o economista para quem devido a isso são feitas propostas de transformação na base de politica fiscal e monetária.

“Isso são as coisas que o FMI conhece melhor do que nós mas não se pode transformar um país na base a política fiscal e monetária”, acrescentou afirmando que devido a isso os países estão num “colete de forças” de políticas que vão satisfazer as percepções de estabilidade.

Carlos Lopes fez notar que em África muitos poucos pagam impostos e que se os paises africanos conseguissem cobrar apenas 1% mais de impostos , isso“é mais a nível continental do que a totalidade da ajuda que a África recebe do exterior”.

“O total da ajuda que se recebe é menos de 1% dos nossos impostos”, afirmou.

Para falar sobre o assunto,ouvimos para além do economista Carlos Lopes, o engenheiro Fernando Pacheco, Adalberto Costa Júnior da UNITA e Pedro Pires, antigo presidente da Cabo Verde.

No dia de Africa a realidade da economia - 20:10
please wait

No media source currently available

0:00 0:20:10 0:00


Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG