Links de Acesso

Moçambicano detido quando tentava vender filhos por 105 dólares


Nesta imagem de arquivo, cartaz de uma campanha contra o abuso e tráfico de menores em Moçambique

A Polícia da República de Moçambique (PRM) na província de Manica deteve um homem suspeito de tentar vender duas filhas de seis e nove anos de idade, para liquidar uma divida de 800 randes (cerca de 65 dólares americanos), no distrito de Mossurize, confirmou a corporação à VOA nesta terça-feira, 7.

Moçambicano detido quando tentava vender filhos por 105 dólares
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:14 0:00

O homem, de 49 anos, receberia pelo “negócio” um total de 1500 randes (cerca de 120 dólares americanos) e foi detido na tarde de sábado, 4, quando ia entregar as duas filhas à compradora, a quem devia o valor.

“Dos 1500 randes ele usaria 800 para pagar a divida e os restantes 700 randes usaria para outros afins”, disse Mateus Mindu, porta-voz do Comando da Polícia de Manica.

A compradora foi igualmente detida e vai responder por aliciamento e tráfico de menores.

Mateus Mindu manifestou preocupação com os casos de vendas de menores em Manica, alguns ligados ao tráfico humano, para mão-de-obra barata na África de Sul e para casamentos prematuros na região.

A Gender Links, uma organzação não governamental de defesa de mulheres e raparigas, do tráfico e casamentos prematuros, alertou para o risco de aumento de tráfico de menores.

Alice Banze, directora executiva da Gender Links para países lusófonos, revelou que a organização tem estado a trabalhar para a criação de uma plataforma de associações em distritos de risco em Manica, incluindo Mossurize, para travar casamentos prematuros e trafico de mulheres e raparigas.

Em Manica, uma prática tradicional, mabatiro, que literalmente significa reserva, permite que grávidas guardem as suas filhas para futuros genros, pessoas ou espíritos.

Ao nascerem as bebés são consagrados ao futuro genro, que geralmente são madjoni-djone (mineiros emigrantes na Africa do sul), que cuida das suas despesas até a adolescência, antes de serem transferidas para a casa do marido.

A Policia, prosseguiu Mateus Mindu, tem relatos de casos de adolescentes que, a coberto dessa prática tradicional, foram enviadas aos seus maridos e que nunca mais regressaram ao país.

Moçambique é apontado por organizações internacionais como um importante corredor de tráfico humano, principalmente entre a África do Sul e a Ásia.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG