Links de Acesso

Moçambicano Cândido Xerinda quer ver a sua música no mapa


Cândido&Cécilia

Quanto ao país,“o que me preocupa é a situação da paz e a falta de emprego”.

Cândido Xerinda é natural de Maputo, Moçambique. A sua iniciação musical foi na Igreja Presbiteriana (Missão Suiça), no seu Chamanculo, bairro de parcos recursos, paredes-meia com a privilegiada zona de cimento.

Hoje, radicado na França, Xerinda está preocupado com a projecção da sua maior paixão, a música da terra natal.

Ele diz que “a música esteve sempre em paralelo com os estudos. O meu primeiro concerto foi aos 12 anos, acompanhei a mãe na igreja, ela cantando e eu tocando guitarra”.

Xerinda cresceu durante a crise que abalou Moçambique, após a independência, em 1975. O país estava em guerra e tinha a economia estagnada.

“Eu tinha entre 15 e 16 anos, não compreendia muita coisa, mas não era nada fácil andar nas bichas (filas), ficar o dia inteiro, dormir lá e muitas vezes não conseguir comprar nada,” recorda Xerinda.

No meio destas dificuldades, Xerinda concluiu os estudos secundários e avançou para o superior.

Na década de 1990, foi à Montpellier, França, onde fez estudos superiores e especializou-se em sociolinguística.

O plano iniciar era dar aulas de francês, mas Xerinda preferiu seguir a música e literatura. Tem cinco discos e dois livros, um em francês (Ximeliyana) e outro em português (A Lenda do Homem Papagaio).

Na música, trabalha, entre outros, com a francesa Cécilia, que é bastante elogiada em Moçambique por cantar em língua ronga, de Maputo.

Aos 51 anos de idade e longe da terra, Xerinda diz que a sua missão é ajudar a colocar a música de Moçambique no mapa.

Quanto à situação actual do país, diz que “o que preocupa é a situação da paz e a falta de emprego”.

Acompanhe:

Moçambicano Cândido Xerinda quer ver a sua música no mapa
please wait

No media source currently available

0:00 0:17:56 0:00

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG