Links de Acesso

Militares na reforma marcham em Luanda para exigir ao Governo pagamento de dívidas


Presidente angolano, João Lourenço, discursa no 64º aniversário do MPLA, em Luanda, Angola

Apontam o dedo ao Presidente pela falta de pagamento de 300 milhões de kwanzas

Generais e outros oficiais na reforma da Caixa Social das Forças Armadas Angolanas (FAA) dizem-se agastados com tantas promessas não cumpridas e decidiram sair à rua no sábado dia 20 de Fevereiro para exigir em manifestação o pagamento da dívida desde 2009 de mais de 300 milhões de kwanzas.

Generais na reserva vão manifestar-se no sábado – 1:11
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:11 0:00


“Chega!”, dizem os generais, oficiais subalternos na reforma e viúvas de combatentes.

“Há colegas nossos que para comer têm de ir aos contentores de lixo, é demais, uma dívida contraída pelo Estado angolano, nosso dinheiro”, afirma o general na reforma José Alberto Limukueno e presidente da Associação dos Oficiais Generais, Superiores e Subalternos, quem diz “ter esgotado a paciência”.

Bernardo Miguel, brigadeiro na reforma, afirma que o culpado desta situação tem nome.

"Essa situação de sofrimento é culpa do camarada comandante em chefe João Lourenço que na altura era ministro da Defesa Nacional e havia recebido todas as orientações do comandante em chefe de então para saldar a dívida, não cumpriu, temos a fé que o nosso dinheiro foi desviado", afirma Miguel.

A concentração para o início da manifestação está marcada para defronte ao Cemitério Santa Ana e terá por destino o Palácio Presidencial, “onde dói mais”, dizem eles.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG