Links de Acesso

Malária já atingiu mais de um milhão e 500 mil angolanos em 2018


Com quase três mil mortos, roubo de medicamentos é uma das causas desse aumento

Angola registou, em seis meses, mais de um milhão e 500 mil casos de malária, que causaram quase três mil óbitos, revelou nesta terça-feira, 5, a ministra da Saúde, Sílvia Lutukuta.

Malaria mata mais de duas mil pessoas em seis meses em Angola - 2:12
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:12 0:00

Entre as causas, a governante aponta também o roubo de medicamentos.

Em termos absolutos, foram notificados 1.527. 238 casos que causaram 2.853 óbitos, dados que ultrapassam os números de 2016 quando se registou a epidemia de febre amarela com 1.392.051 casos.

Luanda, Benguela, Bié, Lunda Sul, Lunda Norte, Bengo e Huambo foram consideradas endémicas popr Lutukuta.

Os dados foram apresentados durante o encontro Metodológico sobre Malária em que participam mais de 300 técnicos provenientes das 17 províncias do país.

A ministra da Saúde reconheceu que o desvio de medicamentos é um dos males que contribuem para a deficiente distribuição dos medicamentos em todo o país.

O activista social André Augusto aponta como causas dos actuais níveis de prevalência de malária no país o fraco controlo dos fundos alocados ao sector e a falta de humanização dos serviços de saúde.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG