Links de Acesso

Mais antigo instituto agrário de Moçambique destruído por insurgentes


Barracas destruídas em Quissanga

Um grupo de insurgentes atacou e incendiou na noite de quarta-feira, 29, o Instituto Agrário de Bilibiza, o mais antigo centro de formação técnica profissional de Moçambique, e outras dezenas de barracas e moradias no distrito de Quissanga, na província de Cabo Delegado.

Na incursão, em que foi clamado o nome de "Bachir", foram raptadas duas mulheres, mas desconhece-se a existência ou não de vítimas mortais.

Fontes da VOA revelaram que durante a incursão, que iniciou durante a tarde, o grupo vandalizou também o centro de saúde, da Fundação Aga Khan, o edifício onde funciona o Governo local e a mesquita.

“Eles entraram em Bilibiza, quando as pessoas já tinham fugido para as matas porque já tinha chegado a informação de outros ataques nas aldeias próximas”, disse um professor local, que preferiu o anonimato e que fugiu, de forma separada da família, que agora não sabe onde se encontra.

A caminho de Bilibiza, o grupo de insurgentes incendiou quase todas as casas da aldeia de Ntuare e 25 de Setembro e raptaram duas mulheres nos campos de cultivo da aldeia Ntessa, relataram outras fontes da VOA.

“Entraram na mesquita começaram a rezar e depois usaram o microfone e começaram a chamar por Bachir (um comerciante e líder da mesquita)” disse um líder muçulmano local, que descreveu que a situação estava “pior”.

Até cerca das 10 horas locais desta quinta-feira, 30, várias pessoas que se tinham refugiado nas matas não tinham regressado à sede de Bilibiza, onde ainda era possível ver fumaça de objectos incendiados, de acordo com as mesmas fontes.

Este é o primeiro ataque que ocorre em aldeias mais próximas de Pemba, a capital de Cabo Delegado, desde que a insurgência iniciou em 2017 nos distritos a norte daquela província moçambicana.

As autoridades ainda não se pronunciaram sobre o novo incidente.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG