Links de Acesso

Kerry avisa que se não houver negociações entre EUA e Brasil a Amazónia desaparecerá


John Kerry, enviado presidencial para o clima dos Estados Unidos

Enviado presidencial americano para o clima afirma na Câmara de Representantes em "conversas positivas" com Governo brasil que é também alvo de críticas

O enviado presidencial americano para o clima, John Kerry, alertou para a necessidade de negociar acordos climáticos com o Governo brasileiro, caso contrário corre-se o risco de que a Amazónia "desapareça".

Kerry fez estas declarações numa audiência na Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes, nesta quarta-feira, 12, na qual lamentou que "infelizmente, o regime de Bolsonaro reverteu parte da fiscalização ambiental".

"Estamos dispostos a falar com eles (Governo), mas não estamos a fazer isso com uma venda nos olhos, e sim com uma compreensão de onde estivemos (no debate ambiental recente). Mas se não falarmos com eles, pode ter certeza de que aquela floresta vai desaparecer", sublinhou o antigo secretário de Estado que negociou o Acordo de Paris.

Questionado por representantes sobre as negociações com o Governo brasileiro, o enviado do Presidente Biden falou em “conversas positivas”.

"Estamos no meio dessa negociação. Na verdade, começamos a fazê-la apenas há algumas semanas. Tivemos algumas conversas positivas e esperamos poder traduzir a intenção em ação eficaz e verificável", respondeu Kerry, quem manteve conversas com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e com o antigo chefe da diplomacia, Ernesto Araújo, que já se demitiu.

Durante a audiência, os congressistas quiseram saber como a Administração Biden vai conseguir levar o Governo de Jair Bolsonaro a assumir e respeitar compromissos.

Neste aspecto, o representante democrata de Nova Jérsea, Albio Sires, lembrou que, um dia depois de ter prometido acabar com o desmatamento ilegal na Cimeira do Clima, organizado por Joe Biden, em Abril, “Bolsonaro aprovou um corte de 24% no orçamento ambiental em 2021".

Nessa reunião, o Presidente brasileiro pediu à comunidade internacional uma "justa remuneração" por "serviços ambientais" prestados pelos biomas brasileiros ao planeta.

Na audiência na Câmara, John Kerry não avançou nenhum detalhe sobre a ajuda financeira do Governo Biden que, segundo fontes da Casa Branca, espera ver a apresentação de metas e resultados do Executivo brasileiro para a preservação do bioma brasileiro, antes de qualquer promessa de financiamentos.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG