Links de Acesso

Kamala Harris anuncia investimento privado de 1,2 mil milhões de dólares na América Central


Vice-presidente dos EUA, Kamala Harris

Programa a ser anunciado hoje pela vice-presidente visa ajudar a combater a migração para os Estados Unidos em Honduras, Guatemala e El Salvador

A vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, deverá anunciar nesta segunda-feira, 13, um pacote de 1,2 mil milhões de dólares em investimentos do sector privado em países da América Central, como parte de um programa destinado a reduzir a migração da região.

O anúncio do apoio a Honduras, Guatemala e El Salvador é esperado numa reunião que a vice-presidente vai manter com presidentes de 10 empresas americanas para discutir iniciativas de investimento na América Central.

A Casa Branca revelou que o programa inclui um aumento do apoio aos agricultores naqueles três países, bem como a criação de um Centro para a Igualdade de Género na América Central, que visa o empoderamento económico das mulheres, inclusão financeira e redução da violência baseada no género.

Kamala Harris está encarregue dos esforços da administração Biden para conter a migração da América Central em direcção às fronteira dos Estados Unidos, com ênfase na abordagem das razões que obrigam as pessoas a deixarem os seus países de origem e enfrentar um caminho difícil que na esmagadora maioria dos casos não é bem sucedido, além de poderem enfrentar a exploração de traficantes e a morte.

A Casa Branca disse a iniciativa inclui um programa de cinco anos de investimentos da empresa Cargill no valor de 150 milhões de dólares para expandir o apoio aos agricultores em Honduras, Guatemala e El Salvador, bem como de 50 milhões de dólares da CARE International para o Centro para a Igualdade de Género na América Central.

Em Honduras, ainda segundo a Casa Branca, a Parkdale Mills planeia construir uma nova instalação de fiação que apoiará 500 trabalhadores.

Por seu lado, os planos da JDE Peet visam aumentar o seu apoio aos agricultores na América Central, incluindo uma ajuda para a adaptação aos efeitos da mudança climática, diversificação das fontes de rendimento e melhor acesso aos mercados.

“Estes compromissos são uma resposta ao apelo da vice-presidente à acção, lançado em maio, para que empresas e organizações nao lucrativas assumam compromissos novos e significativos para abordar de forma sustentável as raízes da migração através da promoção de oportunidades econômicas”, disse um funcionário da Casa Branca antes o anúncio.

Outras empresas deverão confirmar a sua particicipação no programa antes ou durante a reunião.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG