Links de Acesso

Jovem empreendedor quer inspirar angolanas a abrir o seu próprio negócio


Simão Caetano, empreendedor na África do Sul

"A mente é a maior arma no empreendedorismo," disse Simão Caetano.

Simão Caetano é natural de Luanda, mas reside e trabalha na Cidade do Cabo, África do Sul. É co-fundador da Sênnas Exchange, que vende mercadorias variadas. Em entrevista à Voz da América durante o mês da luta pelos direitos das mulheres, Simão quis abordar o empreededorismo e a importância de uma maior participacão das mulheres para que o país tenha uma economia forte.

O interesse de Simão pelo empreendedorismo surgiu devido às circunstâncias difíceis pelas quais Angola passava. Embora o empreededorismo fosse uma opção para ele, para as mulheres não era.

Simão explicou que em Angola a palavra empreender é associada à masculinidade, e por isso as mulheres não estão muito interessadas, o que é uma consequência do factor histórico de que a mulher é vista como um ser submisso ao homem.

“Embora aspirem à liderança, queiram ser donas de si mesmas, ou queiram atingir a tão desejada independência financeira, acabam por fazer com que o potencial delas adormeça. E muitas chegam a pensar que na melhor das hipóteses ser empreendedora é difícil, e na pior, conciliar a vida pessoal e a professional é um bicho de sete cabeças”.

No entanto, o empreendedor argumenta que isso precisa ser superado.

“Género não define competência.”

Em conversa com jovens angolanas, Simão identificou outros factores que as impedem de tornarem-se empreendedoras, como o medo, a falta de capital e a falta de ideias.

Ele explicou que não se pode achar que toda empresa precisa de equipamentos e um edifício, porque esses são elementos complementares para o bom funcionamento da mesma.

“Quem faz as empresas são as nossas mentes”.

O empreendedor destacou que as decisões tomadas nas empresas são feitas por indivíduos que se encontram no topo da hierarquia, e numa primeira instância essas decisões determinam o sucesso ou fracasso das mesmas.

“Todos nós temos o poder na nossa mente. É importante que façamos o exercício dela".

Como mudar a realidade das mulheres em Angola?

Simão Caetano acredita que a realidade pode ser mudada se começarmos a inspirar as mulheres, conciencializá-las, promover actividades. Ele defende que as empresas têm que fazer a parte delas, mas as mulheres não precisam esperar por essa mudança, porque elas podem ser os agentes da mudança.

Um exemplo que Simão deu foi o dele próprio. A empresa do qual é co-fundador foi aberta sem capital e com apenas um computador e a internet.

Por isso ele reitera que para desenvolver um empreendimento precisa-se de uma ideia. Depois devemos nos juntar uns aos outros, a uma pessoa que tenha capital para formar uma equipa, e quem sabe assim ter sucesso.

"Podemos contribuir com ideias que valem milhões, mas é essencial encontrarmos as pessoas certas para formar parcerias.A nossa mente é a chave de tudo. Eu acredito no potencial da mulher angolana."

Confira a entrevista!

Entrevista de áudio com Simão Caetano
please wait

No media source currently available

0:00 0:05:59 0:00

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG