Links de Acesso

João Lourenço fala ao Conselho de Segurança da ONU sobre situação na República Centro-Africana


João Lourenço, na abertura do ano judicial 2021, Luanda, Angola

Reunião acontece na quarta-feira, 23, e o Chefe de Estado angolano falará como Presidente da Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos

O Presidente angolano participa na quarta-feira, 23, na reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas, em Nova Iorque, sobre a situação política e de segurança na República Centro-Africana (RCA), na qualidade de presidente da Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos (CIRGL).

João Lourenço vai informar aquele órgão sobre os passos que tem dado à procura da paz e segurança naquele país.

Em nota divulgada neste domingo, 20, a Presidência angolana recorda que em Janeiro e Abril Luanda acolheu duas mini-cimeiras por iniciativa de João Lourenço, enquanto os ministros dos Negócios Estrangeiros de Angola, do Ruanda e da RCA discutiram a situação daquele país em Maio e Junho, em Bangui.

“Tentativas de se harmonizar ideias e posições para que se implemente um roteiro que finalmente conduza à paz para aquele país, onde o Governo, entre outros grandes desafios como o acosso de forças negativas de diversas tendências, ideologias e matizes, tem ainda o drama de não poder adquirir armas devido a um embargo decretado internacionalmente”, acrescenta a nota, que reitera a posição do Presidente angolano que tem advogado abertamente para o fim desse embargo”.

A 29 de Janeiro, ao discursar na abertura da mini-cimeira de Chefes de Estado da CIRGL, em Luanda, João Lourenço disse que os líderes desses países não podem acompanhar "de forma passiva, a situação inaceitável que se desenrola naquele país (República Centro-Africana), cujo Governo legítimo está inexplicável e injustamente condicionado pela Resolução 2536 de 2020 do Conselho de Segurança das Nações Unidas, no que respeita à sua função essencial de garantir a segurança e a protecção das populações, deixando-o numa situação de grande fragilidade, face à crescente facilidade das forças rebeldes em adquirir armas de todos os calibres e poder de fogo".

Na ocasião o Presidente angolano fez saber que uma acção em prol da paz e segurança na RCA seria "desenvolvida em estreita cooperação com o presidente da Comissão da União Africana e com o secretário-geral das Nações Unidas", aos quais reportará, com regularidade, o ponto de situação.

João Lourenço dexa Luanda na segunda-feira, com destino a Nova Iorque.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG