Links de Acesso

João Lourenço apoia criação de Parlamento da África Austral


Presidente da República de Angola, João Lourenço, em Paris. 28 de Maio, 2018

Em discurso em Luanda, Presidente angolano condenou os atentados no Zimbabwe e na Etiópia

O Presidente angolano João Lourenço manifestou o apoio do seu Governo na transformação do fórum parlamentar da SADC em Parlamento regional, durante a abertura, nesta segunda-feria, 25, de mais uma reunião do órgão que decorre em Luanda .

João Lourenço apoia parlamento da SADC - 2:26
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:26 0:00

Os líderes da região nunca chegaram a acordo sobre a matéria por muitos deles considerarem que a criação da um Parlamento regional pode vir a interferir nas questões de soberania dos respectivos países.

Entretanto, João Lourenço disse acreditar que se o assunto for bem fundamentado pelos representantes que participam no encontro de Luanda, os Chefes de Estado prestarão a sua melhor atenção quando se encontrarem na cimeira prevista para a capital da Namíbia, Windoek, no mês de Agosto.

Na sua intervenção, o também presidente do Órgão de Cooperação Política, Defesa e Segurança da SADC, falou da necessidade da região apostar na sua industrialização, "visando melhorar o aproveitamento dos recursos naturais que possui".

O Chefe de Estado considerou fundamental a redefinição das prioridades ao nível da SADC e defendeu o envolvimento de todos os povos da região, que tem cerca de 300 milhões de habitantes.

Lourenço aproveitou a reunião da SADC para condenar os atentados contra o Presidente interino do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa, e o primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, ambos ocorridos sábado, 23.

“Condenamos veementemente este acto cobarde, criminoso e antidemocrático”, afirmou o Presidente angolano, quem encorajou os zimbabuenos a manterem-se firmes e determinados na realização das eleições na data prevista, 30 de Julho próximo.

Em relação ao atentado na Etiópia, embora não sendo um país da SADC, o Chefe de Estado alertou pelo facto de perigar a democracia, num país que acolhe a sede da União Africana (UA).

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG