Links de Acesso

Huila: Oposição alerta para anomalias no registo eleitoral e MPLA apela à mobilização


Urna numa assembleia de voto em Luanda, 23 de Agosto

Os partidos políticos na oposição na província angolana da Huíla estão preocupados com situações anómalas no processo de actualização do registo eleitoral oficioso.

O MPLA, por seu lado, prefere apelar à mobilização do partido com vista às eleições de 2022.

Huila: Oposição alerta para anomalias no registo eleitoral e MPLA apela à mobilização - 2:30
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:34 0:00

O responsável da CASA-CE na Huíla diz que os fiscais indicados pela coligação para acompanhar o processo não têm tido acesso aos relatórios diários.

Apesar disso, Frederico Fonseca garante estar satisfeito com o processo em si e engajado na mobilização dos potenciais eleitores nas eleições de 2022.

“São essas pequenas lacunas que os nossos fiscais nos fazem chegar, mas penso que o processo do registo eleitoral tem corrido o seu curso e estamos satisfeitos. Estamos constantemente no campo nos municípios, nas comunas e nos mercados transmitirmos a ideia das pessoas registarem-se por ser importante", acrescenta Fonseca.

Envolvida na mobilização da população para ver concretizado o plano de alternância do poder em 2022, está igualmente a UNITA.

A lentidão do processo é para o maior partido na oposição um aspecto a melhorar, segundo o secretário provincial adjunto, Félix Kuenda.

“O registo devia se alargar mais, devia- se generalizar o registo. Há pouca publicidade devia ser um processo realizado numa normalidade porque o que nós sentimos todos os dias é que o indivíduo tem que perder um dia para fazer o registo e sabe que as pessoas têm múltiplas tarefas a desenvolver durante o dia", afirma Kuena, quem apela "às autoridades que invertam o quadro porque estamos preocupados”.

Por seu lado, o primeiro secretário do partido no poder, Nuno Mahapi, sem fazer nenhum comentário sobre o processo de actualização do registo fala em mobilização geral em 2022, que “vai requerer do MPLA na província um árduo trabalho político-partidário, por um lado, e, por outro, continuar a aprimorar as nossas organizações na sensibilização e mobilização dos nossos militantes”.

A VOA tentou sem sucesso ouvir o Gabinete Provincial dos Registos.

Com cerca de três milhões de habitantes, a Huíla, considerada segunda maior praça eleitoral do país, pode ver a sua população votante aumentar nas eleições de 2022.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG