Links de Acesso

Hong Kong vai a eleições a 24 de Novembro


Manifestantes barricados numa universidade Hong Kong. 15 Novembro 2019

Nos últimos cinco meses, milhões de pessoas marcharam por Hong Kong, exigindo reformas democráticas no território chinês semi-autónomo. No próximo domingo (24 de novembro), os Hong Kongers finalmente vão ter oportunidade de expressar a sua opinião, ainda que de forma limitada, por meio de votação.

Se a eleição for realizada conforme o planeado, o povo de Hong Kong vai escolher mais de 400 membros de 18 conselhos distritais espalhados pelo pequeno território - um barômetro crucial da opinião pública em meio a uma onda de protestos anti-governamentais que se tornam cada vez mais agressivos.

Os membros do conselho distrital não exercem tanto poder, mas sob o sistema quase democrático de Hong Kong, a votação pode ter um grande efeito na forma como o Conselho Legislativo e o chefe executivo poderão ser escolhidos.

Muitos países do campo pró-democracia temem que o governo adie ou cancele a votação sobre preocupações com a violência nas eleições. Nas últimas semanas, várias figuras pró-democracia foram atacadas, incluindo um político cuja orelha foi parcialmente arrancada durante um confronto em frente a um centro comercial. Um político pró-Pequim também foi esfaqueado por um homem carregando um bouquet de flores.

Algumas vozes pró-Pequim apelam que a votação seja adiada até que a calma seja restaurada.

O People's Daily, o jornal oficial do Partido Comunista Chinês, publicou na semana passada um comentário dizendo que "eleições justas" só são possíveis depois das autoridades "reprimirem decisivamente os tumultos" e restaurarem a paz.

Hong Kong vai a eleições no mesmo dia em que a Guiné-Bissau, também em crise, realiza eleições presidenciais.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG