Links de Acesso

Há um plano de envio de guerrilheiros da Renamo para combater insurgentes, diz Mariano Nhongo


Membros da autoproclamada Junta Militar da Renamo

O líder da autoproclamada Juntar Militar da Renamo, Mariano Nhongo, disse, esta quarta-feira, 01, que há um plano de recrutar os guerrilheiros da Renamo, nas bases de acantonamento, para combater os insurgentes na província de Cabo Delgado.

Há um plano de envio de guerrilheiros da Renamo para combater insurgentes, diz Mariano Nhongo
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:41 0:00


“Ossufo (Momade) já fez sentada com a Frelimo, para levar homens da Renamo para Cabo Delgado” combater os insurgentes, acusou Mariano Nhongo em entrevista telefónica à VOA.

O antigo estratéga militar do líder histórico da Renamo disse que o plano do envio dos guerrilheiros, aquartelados nas bases do centro de Moçambique, para Cabo Delgado, foi arquitetado numa reunião militar, que envolveu o governo e a liderança da Renamo.

Um grupo de deputados, disse Nhongo, terá se deslocado à algumas bases, onde estão aquartelados os guerrilheiros no âmbito do processo de desmobilização, desarmamento e reintegração social para os alistar.

“Já organizaram homens e eu proibi. Tinham organizado três grupos para irem a Cabo Delegado” disse Nhongo.

“O que estão a exigir estes homens de Cabo Delegado? A exigência é a mesma. Nós não temos responsabilidade de ir a Cabo Delgado, aqueles são nossos amigos, porque o que eles estão a exigir é o que estamos a exigir também, por quê irmos lutar entre nós?” questionou.

Nhongo acusou o secretário-geral da Renamo, André Magibire, e os deputados José Manteiga, Alfredo Magumisse, Domingos Ngundana e (Enhumua) Gomes de estarem a liderar o plano de envio dos guerrilheiros.

Renamo refuta a acusação

“Eu não quero mais ouvir as mensagens de Ossufo (Momade) nas bases, senão vou acelerar a velocidade dos ataques” disse Nhongo.

Contactado pela VOA, o secretário-geral da Renamo, André Magibire, não confirmou e nem desmentiu o plano de envio de guerrilheiros a Cabo Delgado e limitou-se a considerar de “infundado” o pronunciamento do líder da junta militar.

“Isso que ele esta a dizer é da responsabilidade dele, da responsabilidade da (autoproclamada) Junta Militar e nós a Renamo nos distanciamos deste pronunciamento” disse André Magibire.

A autoproclamada Junta Militar da Renamo tem uma direção paralela desde Agosto e contesta a liderança do partido e quer renegociar com o Governo os acordos paz e o processo do seu desarmamento e reintegração social.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG