Links de Acesso

Guiné Bissau: Autoridades impedem manifestação contra a exploração conjunta de petróleo


Cidade de Bissau, capital da Guiné-Bissau

Os activistas liderados por Sana Santé são também contra o adiamento das eleições legislativas de 18 de novembro.

As autoridades policiais impediram hoje, 27, na cidade de Bissau, a manifestação convocada pela sociedade civil, que exige a interrupção das negociações para o acordo da zona de exploração conjunta de recursos entre a Guiné-Bissau e o Senegal.

Guiné Bissau: Autoridades impedem manifestação contra a exploração conjunta de petróleo
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:18 0:00

Tal acordo foi assinado há 20 anos e que dá à Guiné-Bissau 15% contra 85% para o Senegal de recursos vindos de uma eventual exploração de hidrocarbonetos.

A marcha impedida era liderada pelo Movimento de Cidadãos Conscientes e Inconformados, cujo líder Sana Santé diz que o governo não tem legitimidade para discutir a questão de zona conjunta, em virtude de não ter sido eleito.

Ela argumenta que “não existe coisa alguma de zona conjunta (…) aquela zona é, exclusivamente, território da Guiné-Bissau e não pode haver negociações para partilha”.

Os activistas liderados por Santé são também contra o adiamento das eleições legislativas de 18 de novembro.

“Este governo foi criado para organizar eleições, na data de 18 de novembro, deste ano e esta data não pode, de alguma forma falhar, porque representa a esperança deste povo para sair desta situação,” diz Santé.

Santé promete continuar a lutar por estas duas causas. “Não desistimos. Estamos a reorganizar as forças para atacar, de novo, e vamos lutar até ao nosso último suspiro.”

Para este líder da sociedade civil, as “autoridades nunca agiram em defesa dos interesses nacionais, e aqui estão a agir, em claro interesse das autoridades do Senegal, o que não vamos tolerar”.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG