Links de Acesso

Guerra na Ucrânia: Preços de fertilizantes aumentam quatro vezes em Angola


Produtores avisam de necessidade urgente de estado subvencionar os fertilizantes quando João Lourenço promete fábrica no Zaire

A guerra na Ucrânia levou a que os preços de fertilizantes quadruplicassem em Angola causando problemas para os esforços do país se tornar auto-suficiente em produtos agrícolas,

Angola:Preço de fertilizantes quadriplica – 2:22
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:22 0:00

O Presidente João Lourenço anunciou no fim de semana uma “grande fábrica” para o Zaire afirmando que sem fertilizantes, não há alimentos, e, reavivando uma velha promessa, garantiu uma fábrica industrial para a província do Zaire.

“O lançamento da primeira pedra vai acontecer, creio, ainda este mês”, disse o presidente que prometeu “uma grande fábrica, que vai dar emprego para além de resolver, em parte, a falta de fertilizantes que já começa a acontecer no mercado internacional”.

“Quando não há fertilizantes, não há comida, a actividade agrícola exige grandes quantidades”, acrescentou.

A última promessa do Presidente da República, na qualidade de líder do MPLA, partido, coincide com uma situação que exige uma rápida intervenção do Estado, avisou o importador Manuel Monteiro, presidente da Federação das Cooperativas Agro-pecuárias, que antevê dificuldades nas futuras campanhas agrícolas.

“Sem dúvida, vai ser um constrangimento a considerar” disse Monteiro que acrescentou que “ temos vindo a trabalhar, através da associação, para que o Estado possa subvencionar sobretudo os fertilizantes e alguma semente”.

“Os preços saíram dos 300 dólares para 1200 dólares a tonelada, isso complica as campanhas”, indica o líder associativo.

O analista Cabral Sande, também ele fazendeiro, realça o ambiente eleitoral em curso, mas espera estar enganado.

“Se tivermos visão, esquecermo-nos, por enquanto, dos mega projectos, podemos maximizar a produção de fertilizantes, quer biológicos, quer químicos, e até dos cereais, como milho, trigo e o feijão, substituindo a África do Sul e ultrapassar o estágio do Zimbabwe no passado”, considera Sande, acrescentando, contudo, que “foi apenas eleitoralista, ele viu que se não prometer ali não ganha”.

Em Julho de 2020, o Ministério da Agricultura e Pescas anunciou investimentos de 40 milhões de dólares norte-americanos na importação de 75 mil toneladas de fertilizantes, metade das necessidades anuais.

Benguela conta com uma unidade misturadora de fertilizantes, com valências similares ao do projecto invalidado pelo tribunal por má localização, e o Huambo tem uma unidade de produção de adubos orgânicos.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG