Links de Acesso

Governo são-tomense recua na nomeação de cônsul em Marraquexe


Ministério dos Negócios Estrangeiros de São Tomé e Príncipe

O Governo de São Tomé e Príncipe anulou a nomeação do cidadão francês Miclet Vincent como cônsul honorário no Reino de Marrocos.

A decisão foi tomada em Conselho de Ministros após a notícia avançada pela publicação digital angolana Club-K, segundo a qual a ministra dos Negócios Estrangeiros, Elsa Pinto, teria tomado a decisão de nomear o empresário francês como cônsul em Marraquexe sem consultar o primeiro-ministro.

A notícia gerou um clima de desconfiança no Executivo e o secretário de Estado da Comunicação Social e porta-voz do Governo, Adelino Lucas, veio a público anunciar a anulação desta nomeação.

“O Governo decidiu anular este processo de nomeação do cidadão Miclet Vincent e orientou o Ministério dos Negócios Estrangeiros a uma análise mais aprofundada da questão”, sustentou Lucas.

Entretanto, o analista Liberato Moniz diz que o caso não pode ficar por aqui.

“Se o primeiro-ministro anulou o processo é porque a nomeação foi feita sem o seu consentimento, então para além de anular o ato a ministra deve ser demitida do cargo”, afirma Moniz.

Outro analista, Abílio Neto, acrescenta que “em São Tomé e Príncipe essas nomeações duvidosas de pessoas sem credibilidade e idoneidade são apenas para beneficiar quem as faz”.

De recordar que em janeiro a chefe da diplomacia Elsa Pinto inaugurou em Laayoune, capital do território do Sahara Ocidental, atualmente sob administração do Reino de Marrocos, o primeiro consulado de São Tomé e Príncipe.

Na altura Elsa Pinto disse que o consulado de Laayoune iria servir toda a comunidade são-tomense radicada em Marrocos, constituída, maioritariamente por estudantes.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG