Links de Acesso

Ex-oficial do Interior e directora do Inadec em Benguela presos por suspeita de desvio de fundos públicos


Notas de Kwanzas, Angola

Presumíveis problemas de saúde retardam ida à cadeia central

A directora do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec) na província de Benguela e o antigo chefe dos Recursos Humanos da Delegação Provincial do Interior (Minint), Maria Alice Aurora e Moisés Caluweio, respectivamente, foram detidos neste sábado, 06, por suspeitas de crime de peculato, confirmaram fontes judiciais.

Ambos deveriam ter sido encaminhados para a cadeia do Cavaco, conforme o mandado judicial, mas estão encarcerados numa das celas do Serviço de Investigação Criminal, SIC, devido a alegados problemas de saúde.

À hora em que expedíamos esta peça, a meio da tarde, médicos saídos do Hospital Geral de Benguela, nas imediações, prestavam assistência aos dois.

Segundo as fontes contactadas pela VOA, a directora do Inadec é indiciada por alegados desvios de fundos provenientes de cobranças de multas, que terão sido canalizados para uma ‘’conta paralela’’, quando o destino seria a Conta Única do Tesouro (CUT).

A chamada conta paralela, objecto de um rastreio da investigação, foi aberta no Banco de Comércio e Indústria (BCI).

Sob Moisés Caluweio, expulso da corporação há três anos, justamente por alegada gestão danosa, recaem suspeitas de inserção na folha salarial da Delegação do Interior de centenas de trabalhadores de uma empresa sua.

‘’O Estado pagava salários a trabalhadores de uma empresa privada’’, resumiu uma das fontes, antes de ter avançado que, no quadro deste processo, ‘’mais pessoas entrarão’’.

A VOA não conseguiu obter pronunciamentos dos advogados de Aurora e Caluweio, presos preventivamente após o vice-procurador provincial, Herculano Chilanda, ter afirmado, há uma semana, que faltavam denúncias sobre casos de desvios de fundos públicos, corrupção e crimes contra o património.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG