Links de Acesso

EUA: Debate presidencial marcado por interrupções mútuas e insultos - Biden chama Trump de “palhaço” e “mentiroso”


O presidente Donald Trump e o ex-vice presidente Joe Biden estiveram ontem à noite envolvidos num intenso debate de 90 minutos marcado por constantes interrupções mútuas em que o candidato democrata por duas vezes apelidou o presidente de “palhaço”.

“Ó homem porque não te calas”, disse a certo passo do debate Joe Biden que durante grande parte da hora e meia se ria das declarações de Trump que esteve na maioria do tempo na defensiva.

No primeiro de três debates antes das eleições presidenciais de 3 de Novembro , o moderador Chris Wallace teve enormes dificuldades em impedir os candidatos de se interromperem e insultarem-se levando a que a discussão se tornasse algumas vezes incompreensível.

A certo passo do debate quando o moderador tentou mudar de assunto Biden afirmou sarcasticamente:

‘Foi um segmento muito produtivo não foi? Continua a latir homem.”

“Todos sabem que o presidente é um mentiroso”, disse Biden durante a discussão sobre as leis de de saúde .

“Este homem não sabe do que é que está a falar”, acrescentou.

Durante o debate Joe Biden por várias vezes dirigiu-se diretamente à audiência televisiva falando para a câmara e pedindo aos eleitores para compararem a sua situação actual com aquela do presidente.

Por várias vezes o candidato democrata acusou o presidente de ser responsável pela morte de centenas de milhar de pessoas vitimadas pela Covid-19.

O presidente respondeu que as suas medidas iniciais de fechar o país a pessoas provenientes da China tinha sido criticada por Biden como uma medida racista e que essa medida só por si tinha salvo milhares de vidas.

Trump acusou Biden de estar controlado pela “esquerda radical” do seu partido, afirmando que o seu plano de governação foi elaborado por essa ala e acusando-o de querer impor um sistema socialista de assistência médica no país.

“O Partido Democrata sou eu e sou eu quem declara qual é a plataforma (política)”, respondeu Biden.

Trump acusou os democratas e Biden de quererem fechar o país por razões políticas sob pretexto de combater a Covid-19, afirmando que o país está gora na senda da recuperação.

“Dez milhões de pessoas já voltaram aos seus empregos”, disse o presidente que defendeu a sua decisão de organizar comícios em que milhares de pessoas têm participado muitas vezes sem qualquer medida de precaução contra a Covid-19.

“Biden não organiza esses comícios porque ninguém iria comparecer”, disse o presidente

Por várias vezes o presidente tentou trazer ao debate os negócios de um dos filhos de Joe Biden na Ucrânia e na China, alegando ainda o pagamento de milhões de dólares por parte de uma entidade russa ao filho do ex vice-presidente.

Foi no meio de uma dessas trocas de palavras que Biden apelidou o presidente de “palhaço”.

Biden acusou Trump de fomentar as divisões racistas no país afirmando que existe “injustiça sistémica na educação, trabalho e aplicação da lei”.

O presidente disse que o verdadeiro racista era Joe Biden que disse ser responsável por uma lei que levou milhares de negros para a prisão , acrescentando que o país tem que regressar aos seus valores centrais

O presidente acusou também Biden de não querer falar sobre a necessidade de se manter a lei e ordem, e vangloriou-se de ter o apoio de várias organizações policiais através do país.

“Dá-me o nome de uma única organização policial que te apoia”, pediu Trump a Biden que não teve resposta mas disse não apoiar a violência como meio de protesto

O debate teve lugar num auditório de uma universidade na cidade de Cleveland adornado com as cores azul e vermelho da bandeira americana com um anel de estrelas com uma águia ao centro em que se lia ‘União e Constituição para sempre”

Devido à pandemia do coronavírus a audiência foi reduzida a familiares e a membros das duas campanhas mas as previsões eram de que cerca de 100 milhões de americanos iriam ver o debate pela televisão

O debate de uma hora e meia, foi dividido em segmentos de 15 minutos, nomeadamente sobre as suas carreiras, o Supremo Tribunal e a recente nomeação de uma candidata a juíza, a pandemia da Covid19, a economia, questões raciais e violência e a integridade das eleições.

O impacto do debate no eleitorado permanece por verificar mas uma sondagem efectuada antes indicou que isso será mínimo. A esmagadora maioria dos inquiridos (86%) disseram que já tinham decidido por quem irão votar e apenas 14% disseram estar ainda por decidir.

Para além disso outro factor de nota é que esta campanha presidencial tem sido muito estável em termos das sondagens com Biden a manter constantemente a vantagem sem que isso fosse afetado por questões como a pandemia do coronavírus, o desemprego e as recentes manifestações contra o racismo. Analistas consideram que é pouco provável que este primeiro debate de 90 minutos possa alterar isso.

Contudo as sondagens ao eleitorado indicavam também que os debates são de maior importância para o presidente já que Biden continua a gozar de vantagem não só a nível nacional (média de 6,1% de vantagem) mas também nos estados considerados vitais para se garantir a vitória no Colégio Eleitoral, embora nestes casos a sua vantagem esteja em média dentro da margem de erro. Os debates são assim para Trump uma oportunidade de abalar essa dinâmica.

Os dois candidatos aceitaram que a noite eleitoral sera provavelmente longa devido à contagem de votos a serem enviados em número recorde pelo correio. Em muitos estados esses votos só podem começar a ser contados no dia das eleições.

Trump voltou a afirmar que não se opõe ao voto postal desde que requerido pelo eleitor mas disse que muitos estados controlados pelo partido democrata estão a enviar boletins de votos aos eleitores mesmo aqueles que na os solicitaram abrindo as portas à fraude

Trump e Biden voltam a defrontar-se a 15 e 22 de Outubro.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG