Links de Acesso

Empresários chineses assassinados por compatriotas em Benguela


Polícia investiga mortes no ‘’garimpo’’ de madeira

Dois empresários chineses foram assassinados a tiro na província angolana de Benguela, numa zona dominada pelo negócio do eucalipto, devido a supostas divergências ligadas à actividade de transformação da madeira, apurou a VOA.

Cidadaºso chineses assassiandos em Benguela, compatriotas presos - 1:09
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:09 0:00

O crime, já confirmado pela Polícia Nacional, que garante estar a trabalhar na investigação, levou à detenção de três suspeitos, também de nacionalidade chinesa, que dividiam um estaleiro com as vítimas.

Os cidadãos detidos sobreviveram a um tiroteio ocorrido no estaleiro da empresa que transformava madeira.

O porta-voz da Polícia, superintendente chefe Pinto Caimbambo, limita-se a explicar que as investigações continuam a decorrer, com os corpos dos empresários ainda na morgue do Hospital Geral de Benguela.

Ainda antes da confirmação do Comando Provincial da Polícia, quase uma semana depois do ocorrido, já uma missão parlamentar chefiada pelo deputado Alberto Ngalanela, secretário da UNITA em Benguela, alertava a opinião pública para as consequências da desordem na extracção da madeira no Alto Catumbela, município da Ganda.

"Foi na antiga fábrica de papel, a Celulose, onde, segundo informações, o espaço virou uma área de ‘garimpo’, aparecem empresários oriundos de Luanda para a exploração do eucalipto, para a exploração da madeira, sem autorização e conhecimento da Administração da Ganda. É uma desorganização, mas é bom lembrar que há lá muitos produtos tóxicos que não foram retirados, está em risco a saúde pública’’, denunciou Ngalanela.

A exploração do eucalipto é um trabalho exclusivo da empresa Estrela da Floresta, participada pelo Fundo Soberano de Angola.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG