Links de Acesso

Donald Trump celebra absolvição e ataca opositores


Donald Trump

O Presidente americano, Donald Trump, disse nesta quinta-feira, 6, ter sofrido uma "terrível provação" durante o processo de impugnação, que ele chamou de "situação muito injusta".

Ele admitiu que o dia seguinte à absolvição no Senado é uma "celebração".

A participar no chamado “pequeno-almoço de oração”, que se realiza anualmente em Washington com a presença do Presidente e lideranças evangélicas, disse que pessoas desonestas “fizeram tudo o que foi possível para nos destruir e, fazendo isso, maltrataram muito a nossa Nação".

"Tantas pessoas foram prejudicadas. Não podemos deixar isso continuar”, sublinhou.

Horas mais tarde, num ato de pura celebração na Casa Branca, também transmitido pela televisão, Donald Trump chamou o processo de "situação muito injusta" e voltou a dizer que sofre perseguição, uma "caça às bruxas", desde que assumiu a Presidência.

"Fomos injustamente ao inferno, não fizemos nada de errado", reiterou.

"Primeiro, foi aquela história de Rússia, Rússia, Rússia. Tudo uma asneira", disse, referindo-se às acusações sobre um suposto conluio dele com espiões russos contra o Partido Democrata nas eleições presidenciais de 2016.

No discurso, Trump também chamou o processo de impugnação de "mau, corrupto" e feito por "fugas e mentirosos".

Ele ainda agradeceu o senador Mitch McConnell, líder republicano no Senado e considerado aliado de Trump durante o processo no Senado.

"Ele esteve conosco desde o começo e nunca mudou. Mitch McConnell, você fez um trabalho incrível", afirmou.

Críticas a opositores

Tanto pela manhã quanto no discurso à tarde, Trump levantou exemplares dos jornais "USA Today" e "Washington Post" com as manchetes: "Trump absolvido".

"O resultado foi este", celebrou.

No pequeno-almoço, o Presidente ainda criticou, indiretamente, o senador Mitt Romney, o único republicano a votar contra ele e que, ao explicar o seu voto no Senado na quarta-feira, mencionou sua fé.

"Não gosto de pessoas que usam sua fé como justificativa para fazer o que eles sabem que é errado", alfinetou, numa aparente referência a Romney.

"Também não gosto de pessoas que dizem 'Eu rezo por você', quando elas sabem que não é assim", insistiu Trump, desta vez em alusão à presidente da Câmara de Representantes, a democrata Nancy Pelosi.

"Nancy Pelosi é uma pessoa horrível. Ela pode até orar, mas está a orar do lado oposto", disse em relação a Pelosi, que abriu o processo de impugnação na Câmara dos Deputados.

Donald Trump tornou-se na quarta-feira, 5, o terceiro Presidente americano a ser absolvido pelo Senado no processo de impugnação aprovado pela Câmara dos Representantes.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG