Links de Acesso

Crianças regressam à escolas em Angola mas afluência é fraca


Alunos da escola São José de Cluny

Um ano depois, milhares de crianças do ensino pré-escolar em Angola voltaram esta segunda-feira, 5, às salas de aula de acordo com um despacho do Presidente da República que autoriza a reaberturas das creches, infantários e escolas públicas e privadas.

Na província de Malanje, no município sede, o regresso ao novo normal aconteceu com algum ceticismo reflectido na fraca afluência a muitas escolas.

aluna do pre escolar na escola missionaria
aluna do pre escolar na escola missionaria

No Centro Infantil Veredas Encantadas, na zona urbana da cidade a secretária Anabela Kudiketa contava com um horizonte de 180 crianças antes da Covid-19 agora tem pouco menos de 50.

“Pré-escolar no total temos 11 crianças , no ATL (Atendimento em Tempos Livres) temos 19 crianças, neste momento temos 5 professores”, disse..

Na escola São José de Cluny, adstrita à Igreja Católica das 90 crianças matriculadas, menos de 40 assistiram às aulas nesta segunda-feira, 5, de acordo com a subdirectora pedagógica, irmã Paula Nassongue.

Irmã Paula Nassongue
Irmã Paula Nassongue

“Infelizmente poucos alunos, a aderência foi pouca”, disse acrescentando que “o primeiro grupo estava razoável, mas o segundo estamos a verificar que não apareceu ainda ninguém”.

Noventa alunos, foram divididos em grupos de 45/45, com o primeiro grupo que entra às 8 horas e sai às 10, e o segundo grupo que entra às 10 horas e saí às 12 horas.

A fraca aderência constitui A nível da província de Malanje mais de 40.230 crianças não puderam entrar no ano lectivo 2020/2021, de acordo com o director provincial da Educação, Manuel Osório, confirma que “para o ano 2021/2022 seremos contemplados com 38 escolas no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG