Links de Acesso

Crescimento económico em Angola só com melhoria na educação e instituições, diz economista


Foto de arquivo

O crescimento económico de Angola está dependente da melhoria do sistema de educação e das instituições estatais, disse o economista e professor universitário angolano Alves da Rocha.

Crescimento económico em Angola só com melhoria na educação, diz economista - 17:57
please wait

No media source currently available

0:00 0:17:57 0:00


O economista falava sobre a actual situação económica e perspectivas para o ano agora iniciado, tendo sublinhado que tendo em conta o ano de 2020 o país encontra-se em recessão há seis anos o que deixa Angola com um longo caminho a percorrer para a recuperação.

“Uma recessão deixa muitos problemas estruturais que demoram tempo a serem ultrapassados”, disse o economista.

Alves da Rocha, economista angolano
Alves da Rocha, economista angolano

Alves da Rocha fez notar que há decadas que o país diz querer diversificar a economia e melhorar o desempenho do estado se quer qualquer resultado.

Muitos programas de intervenção, como os programas de apoio ao crédito de ataque ao desemprego e desemprego jovem não tiveram grande sucesso.

“Temos o vício de pincelar políticamente as coisas dizendo que se está a fazer quando o critério final final são as estatisticas”, disse.

“Isso é que vai provar se os programas e políticas foram efectivos”, sublinhou.

Para Alves da Rocha a educação e as instituições são as pedras bases do desenvolvimento pelo que o governo angolano tem que apostar sériamente nisso.

“Sem educação e sem instituicoes não há crescimento económico, não há diversificação”, disse sublinhando o exemplo da Coreia do Sul que teve um programa de desenvolvimento da educação a 50 anos.

“A educação é a base de tudo “, disse o professor universtário acrescentando que é na melhoria da educação que “econtramos a cidadania, produtividade, competitivdade, onde se vai encontro da inovaçao e da investigação científica”.

A qualidade das instituições públicas também tem que ser melhorada para se garantir o desenvolvimento económico, disse.

Sérgio Calundungo

O coordenador do Observatório Político e Social de Angola Sergio Calundungo defendeu a necessidade da elaboração e implementação de programas económicos funcionais e prestar maior atenção na forma como se estabelecem as prioridades para combater o fenómeno da fome e a pobreza no país.

O analista político disse que o governo tem que melhorar os seus programs de combate à pobreza e isso “tem que ser feito com programas económicos que sejam funcionais”.

Dr. Sérgio Calundungo
Dr. Sérgio Calundungo

“O problema não é só a quantidade de dinheiro dedicada a essa área”, disse Calundungo para quem é preciso ver “como aplicamos prioridades no combate à pobreza”.

“Quando olho para as prioridades e o recursos e as comparo com a realidade sinto que há uma discrepância”, disse Calundungo que recordou que 2021 é o ano pré-eleitoral, por isso os desafios políticos serão maiores sobretudo para o actual governação de João Lourenço.

Este ano o presidente que subiu ao poder prometendo mudanças terá de apresentar evidências das promessas eleitorais feitas nas últimas eleições de 2017 e procurar convencer os seus mais directos detractores, disse Sérgio Calundungo

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG