Links de Acesso

COVID-19: Subsídio de desemprego divide a Casa Branca e Democratas 


Nancy Pelosi

A Casa Branca e os principais legisladores Democratas discutiram, neste domingo, 9, em torno das ordens executivas do presidente Donald Trump para estender os benefícios expirados a dezenas de milhões de trabalhadores americanos deixados desempregados pela pandemia do coronavírus.

Nancy Pelosi, líder da Câmara dos Representantes controlada pelos Democratas, classificou a ação de Trump como "pobre, fraca e inconstitucional" numa entrevista no programa "Fox News Sunday".

Ela disse que "vai demorar um pouco colocar o dinheiro no bolso dos americanos" e novamente pediu que a Casa Branca "nos encontre a meio caminho" na negociação sobre o orçamento para ajudar os mais de 30 milhões de trabalhadores que permanecem desempregados e os governos estaduais e municipais que precisa de mais ajuda.

Um trilhão de dólares, não

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, disse que as ordens de Trump no sábado "não foram a sua primeira escolha", mas culpou Pelosi e o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, pelo colapso de duas semanas de negociações sobre um pacote de resposta ao coronavírus.

“Eu disse a eles que sempre que tiverem uma proposta, estou disposto a conversar”, afirmou Mnuchin, acrescentando que a Casa Branca está disposta a dar mais ajuda aos governos estaduais e locais “mas não um trilhão de dólares” que os Democratas querem.

Diretivas impraticáveis

No programa “This Week” da ABC, Schumer descreveu as diretivas de Trump como "defeituosas", "impraticáveis", "fracas" e "muito estreitas".

"O evento, no country club, é exatamente o que Trump faz - um grande espetáculo, mas não faz nada", disse Schumer.

Nas negociações infrutíferas, os Democratas procuraram estender o incentivo do governo federal de 600 dólares por semana de benefícios estaduais de desemprego até o final de 2020, após expirarem no final de julho. Trump reduziu o valor para 400 dólares e disse que os estados deveriam pagar 100 dólares desse valor.

“Os estados não têm dinheiro para fazer isso”, disse Pelosi. Mnuchin respondeu que têm esses fundos “do dinheiro que já demos aos estados” da legislação anterior de alívio ao coronavírus, que ainda não foi gasto.

Impasse

Trump e funcionários da Casa Branca esperam que as suas ordens sejam contestadas em processos judiciais, já que, de acordo com a lei dos EUA, o Congresso deve aprovar a legislação de gastos. Isso não pode ser feito por decreto presidencial, embora Mnuchin tenha dito que as ações de Trump foram aprovadas pelos seus assessores jurídicos.

Questionado sobre se ele considera as ordens do Trump legais, Schumer respondeu: "Bem, você sabe, vou deixar isso para os advogados. Não irão servir ... não vão entrar em vigor na maioria dos lugares, por semanas ou meses, porque foi feito de uma forma imprestável. "

Ele disse que os pagamentos de 600 dólares por semana para o desemprego teriam continuado a "fluir sem problemas" se o presidente tivesse agido para mantê-los. Muitos legisladores Republicanos protestaram que a quantia era muito elevada, em muitos casos mais do que os trabalhadores recebiam antes de serem demitidos.

Pelosi disse à CNN: “Estamos num impasse, porque os republicanos nunca entenderam a gravidade ... da pandemia”.

A propagação da pandemia permanece sem controle nos Estados Unidos, com o número de casos confirmados chegando a 5 milhões, neste domingo, e o número de mortos em mais de 162 mil. Ambos os números são os maiores totais nacionais em todo o mundo.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG