Links de Acesso

COVID-19: Sem aulas presenciais, escolas privadas moçambicanas exigem propinas na totalidade


Estudantes, Pemba, Moçambique

No segundo mês do Estado de Emergência, continua o braço de ferro entre pais e encarregados de educação e instituições de ensino, sobretudo as privadas, por causa do pagamento de propinas.

Com as aulas suspensas, as instituições de ensino exigem pagamento, na totalidade, uma situação considerada injusta pelos encarregados.

O jurista Filipe Sitoi diz que a exigência das escolas não faz qualquer sentido.

Desde a suspensão das aulas devido ao Estado de Emergência imposto pela Covid-19, as aulas decorrem, com vários sobressaltos, de forma virtual, o que não chega a satisfazer os alunos.

As negociações arrastam-se desde o início da primeira fase do Estado de emergência, e ainda não há consensos que satisfaçam as partes.

O governo, através do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, remete o entendimento, ao diálogo entre as entidades de ensino e os encarregados de educação.

Acompanhe:

COVID-19: Sem aulas presenciais, escolas privadas moçambicanas exigem propinas na totalidade
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:56 0:00


Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG