Links de Acesso

COVID-19: Número de casos aumenta nos EUA


Funcionários de saúde recebem testes de anti-corpos para a Covid-19 no Arizona

Anthony S. Fauci, o principal especialista em doenças infecciosas dos EUA, alertou que a pandemia está a piorar nos EUA porque o país carece de uma estratégia coerente para conter o vírus.

"Como país, quando nos comparamos com outros países, não acho que se possa dizer que estamos bem - quero dizer, não estamos", disse Fauci numa entrevista recente.

Fauci sugeriu no início desta semana que os estados que lutam para combater o vírus "deveriam considerar seriamente o encerramento", apesar dos esforços estaduais de reabrir para reavivar as suas economias.

Na sexta-feira, os Estados Unidos registaram mais de 65 mil novas infecções, a mais recente de uma série de dias recordes.

Os EUA continuam a ser o país mais atingido, com cerca de um quarto de todas as infecções e mortes confirmadas em todo o mundo. Na manhã deste sábado, 11 de julho, mais de 3,1 milhões de pessoas nos EUA haviam contraído a Covid-19 e mais de 134 mil já morreram devido à doença, segundo a Universidade Johns Hopkins.

A Califórnia anunciou que vai libertar oito mil prisioneiros até ao final de agosto, na tentativa de impedir a propagação do vírus no sistema penal. Metade dos mais de três mil prisioneiros da prisão de San Quentin, no estado, têm testado positivo em relação ao vírus.

"Ninguém gosta de ficar trancado em casa. É frustrante, desafiador, mas a estratégia será bem-sucedida se todos desempenharmos o nosso papel", disse Daniel Andrews, o primeiro-ministro do estado de Victoria, na Austrália.

A capital de Victoria, Melbourne, iniciou um bloqueio de seis semanas por causa de um aumento nos casos de coronavírus.

Victoria registou 216 novos casos no sábado, abaixo dos 288 na sexta-feira.

"Veremos mais e mais casos adicionais", disse Andrews. "Isto vai ficar connosco por meses e meses."

Os outros sete estados e territórios da Austrália registaram 11 novos casos no sábado.

Violência e incumprimento de medidas de prevenção

Um motorista de autocarro morreu em França na sexta-feira. Ele foi espancado no início desta semana em Bayonne por passageiros que recusaram o seu pedido de usar máscaras, que são obrigatórias nos transportes públicos franceses.

O primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu admitiu sexta-feira que a decisão de permitir a reabertura de bares e outras empresas pode ter sido "muito cedo". A sua admissão foi feita quando o Ministério da Saúde do país notificou 1500 novos casos, um recorde em um dia.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG