Links de Acesso

COVID-19: Maioria dos infetados nos EUA são negros, hispânicos, asiáticos e nativo-americanos


Trabalhadores do Departamento de Saúde em Washington, D.C. preparam sinais na F Street sobre locais de testagem para a Covi-19. 14 Ago., 2020

A Associated Press relatou na sexta-feira que metade das mortes de Covid-19 nos Estados Unidos são de pessoas de cor - negros, hispânicos, nativos americanos e asiáticos americanos.

Uma análise da The Associated Press e The Marshall Project, uma organização de notícias sem fins lucrativos que cobre o sistema de justiça criminal, descobriu que embora as pessoas de cor representem pouco menos de 40% da população dos EUA, elas representavam aproximadamente 52% de todas as "mortes em excesso " - aqueles acima do normal até julho.

O relatório definiu o excesso de mortes como o número de pessoas acima do número típico daqueles que morrem nos Estados Unidos durante os primeiros sete meses do ano, com base em números dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças.

Os Estados Unidos têm mais casos e mortes por coronavírus do que qualquer outro país, com 5,6 milhões de infecções e mais de 175 mil mortes, de acordo com a Universidade Johns Hopkins. O Brasil tem 3,5 milhões de casos e a Índia aproxima-se da marca dos 3 milhões.

Há quase 23 milhões de casos globais de Covid-19 e quase 800 mil mortes, informou a Johns Hopkins no sábado.

México e Coreia do Sul

O chefe de emergências da Organização Mundial de Saúde, Mike Ryan, disse na sexta-feira que a escala da pandemia no México é "pouco reconhecida" e que os testes são limitados.

Ele disse em um briefing em Genebra que o México estava testando cerca de 3 pessoas por 100.000, em comparação com cerca de 150 testes por 100.000 pessoas nos Estados Unidos.

O México teve quase 550 mil casos do vírus na manhã de sábado e mais de 59 mil mortes, de acordo com a Johns Hopkins.

A Coreia do Sul está a impor uma proibição nacional a grandes reuniões, encerramento de igrejas, discotecas e praias. Além disso, os fãs não serão permitidos em eventos desportivos profissionais.

O ministro da Saúde, Park Neung-hoo, disse no sábado que as novas restrições nacionais, que começam no domingo, seguem nove dias de aumentos de três dígitos nos casos de coronavírus. Os Centros para Controle e Prevenção de Doenças da Coreia registaram 332 novos casos no sábado. O país tem mais de 17 mil infecções por coronavírus e mais de 300 mortes.

Casos voltam a aumentar na Europa

Vários países europeus têm relatado novos surtos de casos Covid-19.

"Não deve haver confusão: as coisas não estão indo bem", disse Fernando Simón, chefe da emergência de saúde da Espanha, esta semana. "Se continuarmos permitindo que a transmissão aumente, mesmo que a maioria dos casos seja leve, acabaremos com muitos no hospital, muitos na UTI e muitas mortes." O número de casos de Covid-19 admitidos em hospitais na semana passada na Espanha foi o dobro do número de admissões da semana anterior.

Berlim experimentou um surto de Covid-19 depois que suas escolas foram abertas. Centenas de alunos e funcionários da escola estão agora em quarentena.

As crianças em França devem voltar à escola mesmo depois de o país ter registado 4.700 novos casos na quinta-feira e mais de 4.500 na sexta-feira.

Na Alemanha, autoridades alertaram na sexta-feira contra viagens à capital belga, Bruxelas, por causa da sua alta taxa de infecções por coronavírus.

A Grã-Bretanha disse na sexta-feira que planeia iniciar testes regulares de Covid-19 em toda a população até ao final do ano para ajudar a suprimir a disseminação do vírus. O país tem o maior número de mortos na Europa, com mais de 41 mil mortes.

Diretor Geral da OMS Tedros Adhanom Ghebreyesus
Diretor Geral da OMS Tedros Adhanom Ghebreyesus

O chefe da Organização Mundial de Saúde diz que espera que a pandemia do coronavírus termine em menos de dois anos - menos tempo do que o necessário para deter a gripe espanhola de 1918.

Falando na sexta-feira em seu briefing regular em Genebra, o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que a chave para deter o vírus é que os países ao redor do mundo "juntem nossos esforços".

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG