Links de Acesso

COVID-19: Governo são-tomense lança programa de apoio a privados e PR pede transparência


Jorge Bom Jesus, primeiro-ministro

O Governo são-tomense anunciou novas medidas para proteger o setor privado dos efeitos das restrições impostas pela luta contra a pandemia da Covid-19, ao memos tempo que o Presidente da República, Evaristo Carvalho, alertou para a necessidade de transparência na utilização dos fundos postos à disposição do Executivo para mitigar os efeitos da crise.

COVID-19: Governo são-tomense lança programa de apoio a privados e PR pede transparência
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:07 0:00

Carvalho defendeu que o apoio às empresas deve ser "abrangente, sem marginalizar outros setores, sobretudo os produtivos”.

Apesar do aumento do número de casos da Covid-19, que totaliza até este momento 619, o Chefe de Estado decidiu não renovar o estado de emergência que vigora há mais de dois meses.

São Tomé aposta no chocolate da terra que não tem comparação com mais nenhum
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:15 0:00

Em contrapartida, o Governo anunciou que vai decretar o estado de calamidade a partir do próximo dia 16 de junho.

"Concluiu-se que este é o último estado de emergência, que termina no dia 15 deste mês, e a partir daí será decretado, provavelmente, o estado de calamidade que poderá acontecer em várias fases", disse Adelino Lucas, o porta-voz do Governo, na quinta-feira, 11, no final da sexta reunião dos órgãos de soberania, convocada pelo chefe de Estado, para avaliar a situação da pandemia e a retoma da atividade económica.

Lucas acrescentou que, no âmbito da retoma da vida económica, "o Governo continuará a desenvolver esforços junto dos parceiros de cooperação para minimizar os efeitos negativos desta pandemia nas empresas".

O governante revelou que, no encontro, os titulares dos órgãos de soberania "lançaram um desafio para o estabelecimento de um pacto social de estabilidade para arrancar a economia do país".

O Secretário de Estado da Comunicação Social admite que “o período pós-coronavírus será pior porque o país deixou de ter receitas, o turismo deixou de funcionar, os serviços pararam, não há cobrança de impostos”.

Face a esta situação, uma das medidas anunciadas para proteger o setor privado foi a criação de um banco de fomento com crédito bonificado para mitigar os efeitos negativos da Covid-19 na economia do arquipélago.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG