Links de Acesso

COVID-19: França e Roménia recebem as primeiras doses da vacina Pfizer BioNTech


Foto tirada a 26 de Dezembro, 2020, nos arredores de Paris, mostra caixas das vacinas Pfizer-BioNTech, à sua chegada a França

A França recebeu os seus primeiros lotes da vacina contra o coronavírus Pfizer-BioNTech no sábado, que foram entregues à rede de farmácias do hospital de Paris.

A distribuição de vacinas está planeadas para começar em duas casas de saúde no domingo, no mesmo dia em que o resto da Europa deve começar a vacinação.

A França relatou mais de 2,6 milhões de infecções por Covid-19 e mais de 62.500 mortes. Autoridades de saúde francesas disseram que registaram o primeiro caso da nova variante da Covid-19 que levou a novos bloqueios na Grã-Bretanha e restrições globais de viagens para residentes britânicos.

O primeiro lote de vacinas Pfizer-BioΝTech também chegou à capital romena, Bucareste, no sábado e está a ser armazenado numa instalação militar. O país, como o resto da Europa, começará as injeções no domingo em nove hospitais em todo o país.

No sábado, a Rússia aprovou a sua principal vacina contra o coronavírus, o Sputnik V, para uso em pessoas com mais de 60 anos, segundo a media russa citando o Ministério da Saúde.

De acordo com dados oficiais russos, o país ultrapassou a marca de 3 milhões de infecções no sábado, com mais de 29.200 novos casos e 560 mortes nas últimas 24 horas.

As infecções por Covid-19 na capital do Japão, Tóquio, registaram uma nova alta diária no sábado.

O Japão, como a França e alguns outros países, também relatou casos da nova variante do coronavírus. O Ministério da Saúde do Japão disse que cinco pessoas que chegaram entre 18 e 21 de Dezembro testaram positivo para coronavírus e foram enviadas para quarentena directo dos aeroportos. As autoridades disseram que análises posteriores mostraram que eles contraíram a nova variante do coronavírus.

Autoridades britânicas disseram que a nova variante do coronavírus parece mais contagiosa e pode ter levado a um aumento nos casos de Covid-19, levando países ao redor do mundo a restringir viagens da Grã-Bretanha.

EUA autoridades anunciaram na quinta-feira que os passageiros que chegam da Grã-Bretanha devem testar negativo para Covid-19 antes da partida. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças disseram que a nova exigência entra em vigor na segunda-feira.

Num outro acontecimento na sexta-feira, o Papa Francisco disse na sua mensagem de Natal que as vacinas Covid-19 devem estar disponíveis para todos e pediu aos líderes políticos e empresariais que "promovam a cooperação, não a competição" na distribuição delas.

Em Israel, o governo anunciou que iria impor seu terceiro bloqueio nacional a partir de domingo para tentar impedir a disseminação do coronavírus. As novas restrições vão durar duas semanas.

Autoridades de saúde da cidade portuária de Dalian, no nordeste da China, estão a testar milhões de residentes depois que sete novos casos de coronavírus foram relatados nas 24 horas anteriores. As autoridades de lá ordenaram que qualquer pessoa, excepto trabalhadores essenciais, ficasse em casa.

Coreia do Sul, Japão e Indonésia registaram os maiores aumentos diários em casos de coronavírus na sexta-feira, quando uma terceira onda de Covid-19 atingiu os países.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG