Links de Acesso

Comunidade Muçulmana de Angola denuncia violação dos seus direitos humanos


David Já revela encerramento de 38 mesquitas na Lunda Norte, "berço do Islão" no país

A Comunidade Muçulmana em Angola acusou as autoridades da província da Lunda Norte de impedirem a celebração do Ramadão com o encerramento de mais de 38 mesquitas, no quadro da Operação Resgate.

O secretário-geral da Comunidade Islâmica em Angola, David Já, disse à VOA nesta segunda-feira, 6, que todas as mesquitas existentes na região, que afirma ser “o berço da islão em Angola”, continuam encerradas, o que força mais de 25 mil fiéis a atravessar as fronteira para cumprirem o seu direito de reza, na vizinha República Democrática do Congo.

Comunidade Muçulmana de Angola denuncia violação dos seus direitos humanos - 1:48
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:45 0:00

Já denunciou que a proibição atenta contra os direitos humanos e considerou “um paradoxo” que apenas numa parte do país haja este tipo de impedimento.

O líder da comunidade muçulmana reiterou que há cerca de 800 mil muçulmanos em Angola, sendo 70 por cento deles estrangeiros.

O mês sagrado do Ramadão iniciou-se nesta segunda-feira em todo o mundo e prolonga-se por 30 dias.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG