Links de Acesso

Comunidade Islâmica refuta conotações de terrorismo em Cabo Delgado


Cabo Delgado

União Europeia oferece-se para ajudar Moçambique a esclarecer ataques no país

A União Europeia quer ajudar o Governo de Moçambique a esclarecer e combater os ataques armados que ocorrem em alguns distritos da província nortenha de Cabo Delgado, atribuídos a fundamentalistas islâmicos.

Comunidade Islâmica refuta conotações de terrorismo em Cabo Delgado
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:11 0:00

Entretanto, a Comunidade Islâmica de Moçambique saiu à rua este domingo para dizer que nada tem a ver com esses ataques.

Pelo menos 90 pessoas morreram e centenas de habitações foram incendiadas desde o início, há cerca de um ano, dos ataques aos distritos de Mocímboa da Praia, Macomia e Palma, no norte de Cabo Delgado.

"É uma situação de terror que se está a registar naquela província", considerou o embaixador da União Europeia em Moçambique, António Sanchez.

Aquele diplomata, que esteve recentemente em Cabo Delgado, referiu que a União Europeia, "parceira de Moçambique há longa data, pode ajudar Moçambique a conhecer melhor todo este fenómeno".

As autoridades moçambicanas já solicitaram ajuda à comunidade internacional para o esclarecimento dos ataques, iniciados em Outubro de 2017.

Os ataques têm sido atribuídos a fundamentalistas islâmicos, mas no domingo, 11, a Comunidade Islâmica moçambicana saiu à rua para negar qualquer relação com os atacantes.

O presidente da Comunidade Islâmica de Moçambique, Abdul Rachid Ismael, disse que "o islão significa paz, e embora estejamos a ser conotados como terroristas, como está a acontecer em Cabo Delgado, os muçulmanos nada têm a ver com o terrorismo".

Para alguns analistas, a violência nos distritos de Cabo Delgado resulta da ausência de políticas redistributivas e de violação de direitos humanos em comunidades onde se desenvolvem projectos de exploração de recursos naturais.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG