Links de Acesso

Comandante da polícia de Benguela acusado de agredir cidadãos


Palácio provincial de Benguela

Incidentes ocorreram em zona odne autoridades querem demolir habitações

O comandante da Polícia Nacional no município de Benguela, superintendente-chefe Melquíades Bravante Kundy, é acusado de ter espancado moradores de um bairro periférico onde centenas de famílias estão ameaçadas de desalojamento.

Bravante Kundy que há três anos foi alvo de uma queixa apresentada pelo jurista Francisco Viena na Procuradoria-geral da República por supostas ordens de perseguição a constituintes seus numa disputa de terra, há três anos, é agora citado como tendo agredido a pontapés e socos homens e mulheres com crianças às costas.

De acordo com a denúncia, o oficial superior chegou ao bairro ‘’António Agostinho Neto’’, à frente de um aparato policial, para informar que nesta Quinta-feira, 31, seriam demolidas as mais de oitenta casas erguidas num espaço pertencente a um antigo membro do Governo, conforme o Tribunal Provincial.

O cidadão Augusto Chacamba, que invoca cenas de violência ocorridas em situações anteriores, disse que o oficial “pegou mesmo no cidadão e deu chapadas e pontapés”.

“Se alguém reagir, para quem será o problema?’’, interrogou

O superintendente-chefe Melquíades Kundy, terá ignorado uma tentativa de diálogo, segundo conta um outro morador do bairro.

‘’Um comandante de três estrelas agrediu todos, ao lado da sua tropa. Deu bicos e chapadas a várias pessoas, até a mulheres com crianças. Tentámos fugir para não causar desacatos’’, disse.

O comandante municipal da Polícia, de quem se aguarda uma reacção à denúncia, não atendeu a nenhum dos vários telefonemas, nem respondeu à SMS que dá conta do assunto.

Já o porta-voz do Comando Provincial, Pinto Caimbambo, também superintendente-chefe, disse que precisava de tempo para estar por dentro do sucedido, mas não mais entrou em contacto com a VOA.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG