Links de Acesso

Cimeira para Democracia: Analistas dizem que é oportunidade para Angola deixar autoritarismo


Jack Sullivan, Conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos (esq) e João Lourenço, Presidente de Angola (dir), 20 de Setembro de 2021

Angola é um dos 110 países convidados para cimeira promovida por Joe Biden a 9 e 10 de Dezembro

Analistas políticos angolanos consideram que o convite feito pelo Presidente dos Estados Unidos ao seu homólogo angolano João Lourenço para participar na Cimeira para a Democracia, a ter lugar nos dias 9 e 10 constitui um desafio que se coloca a Angola no sentido de mudar o carácter autoritário da sua democracia.

Biden convidou líderes de 110 países, incluindo Angola, para participarem no evento virtual.

Cimeira para Democracia: Analistas dizem que é oportunidade para Angola deixar autoritarismo - 3:00
please wait

No media source currently available

0:00 0:03:04 0:00

Para o jurista Vicente Pongolola, o convite do Presidente americano visa "incentivar os governantes dos mais de 100 países a enveredarem-se pelo caminho da democracia de facto e não a fingir”, enrtretanto Pongola entende que, para o caso de Angola, “a recém promulgada lei eleitoral demonstra claramente que ainda não abraçamos processos eleitorais transparentes”.

Por seu turno, o investigador e jornalista Fernando Guelengue considera que o convite das autoridades americanas a Angola representa uma “nota positiva” por incluir “países não democráticos”.

Guelengue diz que “Angola deve aproveitar a cimeira para começar a amadurecer a sua democracia interna”.

Congresso da UNITA elegeu Adalberto Costa Júnior - políticos comentam eleição
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:09 0:00

A nível oficial, o Governo de Angola ainda não confirmou a recepção do convite americano a João Lourenço para a cimeira, que coincide com a realização do congresso do partido governamental, de que é presidente e candidato à reeleição.

A cimeira

Enquanto candidato à presidência dos Estados Unidos da América, o Presidente Joe Biden prometeu reunir países com interesses semelhantes em torno dos esforços para "combater a corrupção" e o "autoritarismo" e "promover os direitos humanos".

Angola terá entrado nessa lista tendo em conta, em especial, o combate à corrupção que foi assumido pelo Presidente João Lourenço por altura da sua tomada de posse.

Graça Machel considera que lideranças perderam conexão com o povo
please wait

No media source currently available

0:00 0:03:46 0:00


A lista de convidados para a cimeira virtual dos Estados Unidos divulgada pelo Departamento de Estado inclui países com défices democráticos e que não respeitam os direitos humanos.

Entre os convidados, segundo o Índice de Democracia da Freedom House, 77 são considerados países livres ou completamente democráticos, 31 parcialmente democráticos e três não livres.

Moçambique e Guiné-Bissau são os únicos países de língua portuguesa que não foram convidados.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG