Links de Acesso

"Chivukuvuku não é um político qualquer", dizem analistas depois da não legalização do seu partido


Abel Chivukuvuku

Eles apontam caminhos ao futuro daquele político angolano

O chumbo do Tribunal Constitucional (TC) de Angola ao recurso interposto para a legalização do projecto político liderado por Abel Chivukuvuku começa a ter muitas reacções.

Analistas apontam vários caminhos para o futuro de Chivukuvuku para os quais ele não é um político qualquer.

Analistas e o futuro político de Abel Chivukuvuku – 2:54
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:54 0:00

Com mais de 30 anos na política, Abel Chivukuvuku destacou-se na UNITA, de onde saiu e, em 2012, promoveu a Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE), que passou a ser a terceira força política no Parlamento.

Há dois anos, foi afastado da coligação por suposta quebra de confiança.

Apesar de ver o seu novo projecto político chumbado, o analista Rui Kandove lembra que Abel Chivukuvuku não é um político medíocre, apesar dos resultados não tão bons conseguidos.

No entanto, diz “pode concorrer às autarquias e, a partir de lá, lançar-se à liderança do país” porque, sublinha, “não estamos a falar de um político medíocre, não estamos a falar de um político qualquer”, que, para ele, mudou o cenário político angolano.

Para Agostinho Sikato, Chivukuvuku tem várias saídas, entre elas a de criar um partido no qual “não dê as caras, pode concorrer a uma autarquia e ainda encabeçar um dos partidos já existentes”.

A 1 de dezembro, o TC refutou a legalização do Partido do Renascimento Angola – Juntos por Angola – Servir Angola (PRA-JA Servir Angola), justificando a sua decisão com o facto do processo de recurso a decisões anteriores semelhantes apresentado pela comissão instaladora “não suprir insuficiências” e apresentar “alegações ambíguas”.

O recurso contestava o despacho no mesmo sentido do tribunal de 27 de agosto e agora a mesma iniciativa só pode ser apresentada outra vez dentro de quatro anos.

Abel Chivukuvuku marcou para quarta-feira, 9, uma conferência de imprensa na qual vai reagir à decisão do tribunal e pronunciar-se sobre o futuro.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG