Links de Acesso

África: Cabo Verde melhor preparado para combater a criminalidade


Palácio da Justiça da Praia, Cabo Verde

Dados são da Iniciativa Global contra o Crime Organizado Transnacional, que diz que São Tomé e Príncipe é o mais com menos criminalidade

Cabo Verde é o país africano mais bem preparado para enfrentar o crime organizado e São Tomé e Príncipe o terceiro país do mundo, e o primeiro entre os africanos, que tem menor criminalidade.

Os dados são da Iniciativa Global contra o Crime Organizado Transnacional, que revelou nesta terça-feira, 28, o seu Índice Global de Crime Organizado.

O estudo assenta-se em 12 parâmetros, tais como liderança política e governação, transparência governamental e responsabilização, cooperação internacional, políticas e leis nacionais, sistema judicial e detenção, execução da lei, integridade territorial, sistemas anti-lavagem de dinheiro, ambiente de regulação económica, apoio a vítimas e testemunhas, prevenção, e agentes não-estatais.

Numa escala de 0 a 10, Cabo Verde conseguiu as melhores pontuações nos sectores da cooperação internacional (8,5), integridade territorial (7,5), políticas e leis nacionais, sistema judicial e detenção e da acção de agentes não-estatais (os três últimos com 7 pontos).

A resiliência reflecte a existência, capacidade e eficácia das respostas do país ao crime organizado, tendo Cabo Verde obtido 6,3, a melhor pontuação em África.

Entre os parâmetros considerados, o arquipélago destaca-se nos campos da cooperação internacional (8,5), da integridade territorial (7,5), das políticas e leis nacionais, do sistema judicial e detenção e da ação de agentes não-estatais (os três com 7 pontos).

São Tomé e Príncipe obteve 4,9 pontos na resiliência, sendo o 13 país no continente, enquanto Angola ficou com 4,4 pontos (19º), Moçambique 3,29 pontos (32º) e Guiné-Bissau, 2,42 pontos (44º).

Menos criminalidade

Quanto à presença da criminalidade, a lista dos melhores “lusófonos” em África é liderada por São Tomé e Príncipe, que também é o primeiro em África e terceiro no mundo.

O relatório da Iniciativa Global contra o Crime Organizado Transnacional indica que o arquipélago conseguiu 1,78 pontos no índice de criminalidade organizada (1 a 10, pior), que tem por base o cálculo entre a prevalência dos mercados de criminalidade e a estrutura no país e a influência de agentes criminosos.

No lado oposto, ainda entre os lusófonos, Moçambique é sétimo entre os 54 Estados do continente, com 6,53 pontos, seguindo-se a Guiné-Bissau, em 22º lugar, com 5,45 pontos e Angola surge na 25º, com uma média de 5,29 pontos.

Cabo Verde, com uma média de 4,04 pontos, é o 10o. país com menos criminalidade em África (10º lugar).

A República Democrática do Congo é o país com a mais elevada taxa de criminalidade, (7,75 pontos), seguida da Nigéria, (7,15) e República Centro-Africana (7,04).

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG