Links de Acesso

Brasil ainda "sem dormir" devido à tragédia de Brumadinho


No dia em que o Presidente Bolsonaro passa por cirurgia, número de mortos sobe para 60

Os brasileiros iniciaram a semana atentos a dois factos.

A maior tragédia ambiental da história, a ruptura da barragem da empresa Vale em Brumadinho, cidade na região metropolitana de Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais, e a cirurgia do Presidente Jair Bolsonaro nesta segunda-feira, 28, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

O procedimento foi necessário para retirar a bolsa de colostomia, usada por ele desde a primeira cirurgia após levar uma facada durante a campanha eleitoral, e religar o trânsito intestinal.

O governante brasileiro passa bem e permanecerá internado por, pelo menos, 48 horas, para se recuperar.

O desastre em Brumadinho, com cerca de 60 mortos confirmados até agora, aproximadamente 300 desaparecidos e mais de 192 resgatados com vida em meio ao mar de lama chama a atenção de todos no mundo.

A cada hora, novas informações em meio ao difícil trabalho de encontrar as vítimas.

Bem cedo nesta segunda-feira foi confirmado um segundo autocarro com trabalhadores soterrados pela lama da barragem de detritos.

Pelas mais de 72 horas passadas pelo desastre, as forças de segurança acreditam ser difícil encontrar alguma vítima com vida.

Os militares receberam apoio no fim de semana das forças de segurança de Israel, com equipamentos de última geração que já estão a auxiliar a busca pelos corpos.

A nova ruptura aconteceu três anos após o desastre em Mariana, na barragem de Fundão que deixou 19 mortos e milhares de quilómetros destruídos.

Antes de entrar para a cirurgia, o Presidente Jair Bolsonaro garantiu que o Governo fará todos os esforços para auxiliar as vítimas e punir os responsáveis pela tragédia.

Brasil, barragem rebenta em Minas Gerais
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:17 0:00

"Difícil ficar diante de todo esse cenário e não se emocionar. Faremos o que estiver ao nosso alcance para atender as vítimas, minimizar danos, apurar os fatos, cobrar justiça e prevenir novas tragédias como a de Mariana e Brumadinho, para o bem dos brasileiros e do meio ambiente", afirmou.

A Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, esteve em Brumadinho e afirmou que a ruptura da barragem operada pela Vale tem um culpado, mas é cedo para identificá-lo.

“É mais uma tragédia humana e ambiental que atinge o Estado e que reforça a preocupação com problemas crónicos e graves no nosso país. Certamente há um culpado ou mais de um culpado e o Ministério Público precisa trabalhar de uma forma adequada, sem espetacularização, mas firmemente, na busca dos responsáveis por essa tragédia”, defendeu.

A Polícia Federal instaurou um inquérito para investigar as causas e os responsáveis.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG