Links de Acesso

Bolsonaro assume Presidência do Brasil com promesas e incógnitas


Jair Bolsonato toma a posse a 1 de Janeiro

Espectativa e esperança marcam início de mandato, com luta contra corrupção e violência na lista das prioridades

Jair Messias Bolsonaro será empossado na terça-feira, 1, Presidente do Brasil, numa cerimónia com um sistema de segurança reforçadíssimo e durante a qual o espaço aéreo da capital, Brasília, estará fechado.

Muitos chefes de Estado da América Latina estarão presentes, bem como os presidentes de Cabo Verde e de Portugal, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

As posições radicais de Bolsonaro sobre muitos aspectos, nomeadamente os seus louvores à ditadura, a liberação da posse de armas e críticas a minorias levantam muitas incógnitas.

Bolsonaro assume Presidência do Brasil com promesas e incógnitas - 2:30
please wait

No media source currently available

0:00 0:00:52 0:00

Com discursos considerados demagógicos pela imprensa e certos sectores, Jair Bolsonaro conseguiu a maioria e agradou os brasileiros com posições fortes contra a corrupção, luta contra a violência e oposição ao PT, antigo partido no poder.

Nos círculos políticos, no país e no exterior, Bolsonaro é uma incógnita, desde a sua posição sobre minorias, ao fazer declarações consideradas ofensivas contra mulheres, negros e indígenas, que depois corrigiu, à promessa de reforçar a polícia na luta contra a violência que grassa o Brasil, a privatização de empresas e uma aproximação aos Estados Unidos, Israel e governos de direita como Colômbia, Hungria e Polónia.

Ainda hoje, uma pesquisa indicou que 61 por cento dos brasileiros é contra a liberação de posse de armas, com o presidente eleito a reiterar que irá avançar com a medida por decreto.

Da esperança às prioridades

Edson Bruno
Edson Bruno

O comunicador e produtor de rádio brasileiro, Edson Bruno, em conversa com a VOA nos estúdios em Washington, considera haver muita esperança de que Bolsonaro vai significar mudança.

“O Brasil viveu anos de calamidade, anos de corrupção sem cessar e o Brasil estava muito ansioso por mudança, está esperando uma mudança que vai ser vital para o Brasil e a posse de Bolsonaro surge com a expetactiva de que vai trazer alguma coisa nova”, explica Bruno.

Quanto a prioridades, aquele radialista que tem o seu programa emitido em cerca de 200 rádios no Brasil, aponta “uma melhor distribuição de renda, que possa causar diferença principalmente naqueles que são mais pobres, se o Congresso ajudar”.

Edson Bruno espera que a “força anti-corrupção” seja uma marca do Governo Jair Bolsonaro, que, por seu lado, pode gerar recursos que a polícia e as autoridades poderão usar para combater a violência”, que grassa de forma nunca vista o Brasil.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, representa Washington na posse no novo Presidente brasileiro que já mostrou a sua vontade de uma aproximação ideológica com o Governo Donald Trump.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG