Links de Acesso

Biden diz que condenação de Derek Chauvin é "um passo em frente", mas falta muito por fazer


Presidente Joe Biden fala sobre caso George Floyd, seguido pela vice-presidente Kamala Harris

Presidente americano e vice-presidente falaram por telefone com a família de Floyd

O Presidente americano Joe Biden considerou a sentença contra o polícia Derek Chauvin, que matou no ano passado George Floyd, "um passo à frente", mas advertiu que o país tem de enfrentar o racismo sistémico existente em todas as esferas da vida, incluindo na polícia.

Biden disse que apenas essa sentença, que “é rara”, é, no entanto, "insuficiente" e “não podemos parar por aqui”.

“Foi um assassinato em plena luz do dia e arrancou as vendas de todo o mundo para ver”, acrescentou o Presidente, para quem “o racismo sistémico é uma mancha na alma da nossa nação.”

Ao falar com os jornalistas na Casa Branca momentos depois da leitura da decisão do júri em Mineápolis, Joe Biden destacou o facto de os polícias chamados a depor o terem feito “em vez de cerrar fileiras".

Antes, a vice-presidente Kamala Harris também reagiu ao caso e reiterou que “a América tem uma longa história de racismo sistémico”.

“Os negros americanos e negros, em particular, têm sido tratados como menos que humanos ”, acrescentou Harris, quem realçou o facto de que “devido aos smartphones, muitos americanos viram agora a injustiça racial que os negros americanos conhecem há gerações”.

Telefonema à família

O Presidente Joe Biden e a vice-presidente Kamala Harris telefonaram aos familiares de George Floyd momentos depois da decisão do júri.

Biden disse “estar aliviado” e garantiu à família da vítima que irá trabalhar numa legislação para a reforma da polícia.

“Vamos focar-nos nisso até terminarmos", assegurou Biden, quem considerou a condenação "importante" e "incrível".

Ele disse aos membros da família esperar "que se sintam melhor agora” e admitiu que "pelo menos há alguma justiça" e que o mundo "começa a mudar agora".

Por seu lado, Kamala Harris falou em "justiça na América" e mostrou admiração pela "coragem da família inteira".

"A vossa família mostrou serem verdadeiros líderes neste momento em que precisamos", sublinhou Harris, prometeu manter o “legado intacto” em nome e “memória de George”.

O antigo polícia Derek Chauvin foi considerado culpado por homicídio culposo, negligência ao assumir o risco consciente de causar a morte de Floyd e causar a morte, sem intenção, através de um acto perigoso, sem consideração pela vida humana.

Ele incorre numa pena de até 75 anos de prisão, por cúmulo jurídico, mas a decisão final será do juiz.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG