Links de Acesso

Barco de resgate alemão com 800 migrantes africanos chega ao porto da Sicília


Chegada de migrantes, Sicília, 7 de Novembro, 2021

ROMA (AP) - Um navio humanitário alemão com mais de 800 imigrantes resgatados, incluindo 15 crianças, embarcou num porto da Sicília no domingo (4), após receber permissão das autoridades italianas terminando dias de espera no Mar Mediterrâneo.

O grupo de caridade Sea-Eye disse que o navio Sea-Eye 4 foi direccionado ao porto de Trapani, no oeste da Sicília, na noite de sábado. A maioria de adultos seria transferida para outros navios para quarentena preventiva contra a Covid-19, enquanto cerca de 160 menores, incluindo bebés e outras crianças com menos de quatro anos, deveriam ser levados para abrigos em terra.

Muitos dos passageiros vieram de países da África Ocidental, Egipto ou Marrocos, disse Giovanna di Benedetto, da Save the Children, na Itália.

Gritos de alegria de passageiros do Sea-Eye 4 foram ouvidos na doca de Trapani enquanto o navio se aproximava, informou a TV SkyTG24.

Manchetes africanas 1 Agosto: Partidas de barcos migrantes para Europa aumentam
please wait

No media source currently available

0:00 0:00:59 0:00

Cerca de metade dos migrantes foram resgatados de um barco de madeira que afundava em 4 de novembro, enquanto os outros passageiros foram retirados do mar em operações separadas.

Oficiais da Sea-Eye lamentaram que Malta, uma nação insular da União Europeia no Mediterrâneo central, não tivesse respondido ao sinal de socorro do barco de madeira na sua área de busca e salvamento.

Enquanto isso, outro navio de caridade, o Ocean Viking, com 308 migrantes a bordo, ainda aguardava uma missão portuária perto de Lampedusa, uma pequena ilha italiana ao sul da Sicília.

A organização humanitária SOS Mediterranee, que opera o Ocean Viking, tweetou que a sua equipa, na noite de sexta-feira, estava envolvida na busca de um barco em perigo ao sul de Lampedusa. A instituição disse que a Guarda Costeira italiana "acabou coordenando e completando o resgate solicitando a ajuda" do Ocean Viking.

Separadamente, a guarda costeira, trabalhando em mar agitado, evacuou duas pessoas, junto com quatro membros da família, do Ocean Viking para tratamento médico, incluindo queimaduras, disse SOS Mediterranee.

No sábado, o Sea-Eye 4 recebeu uma entrega de comida e cobertores enquanto esperava para saber onde os migrantes poderiam colocar comida em terra. Os médicos a bordo do Sea-Eye 4 trataram 25 pessoas com hipotermia, enjoo do mar e hipertensão, além de ferimentos consistentes com tortura.

As agências de refugiados da ONU há muito denunciam a prática de tortura em campos de detenção na Líbia, onde os migrantes vivem, muitas vezes por semanas ou meses, até que os traficantes de seres humanos providenciem a sua passagem a bordo de barcos frágeis.

O número de migrantes que desafiam a perigosa travessia do Mediterrâneo central aumentou este ano para mais de 54 mil. Ainda assim, os números estão dramaticamente abaixo dos de 2014-2017, quando entre 120.000 a 180.000 pessoas chegaram à Itália a cada ano, muitas vezes em barcos precários de contrabandistas.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG