Links de Acesso

Autoridades cabo-verdianas confirmam presença da variante inglesa do coronavírus no país


Variante altamente contagiosa foi encontrada em duas amostras na ilha de Santiago

A variante inglesa do vírus Sars-Cov-2 está confirmada em Cabo Verde, de acordo com o resultado de pelo menos duas amostras enviadas para o Instituto Pasteur em Dacar, Senegal.

Autoridades cabo-verdianas confirmam presença da variante inglesa do coronavírus no país
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:54 0:00

A informação foi avançada nesta segunda-feira, 1, em conferência de imprensa na cidade da Praia pela presidente do Instituto Nacional da Saúde Pública (INSP), que alertou ser uma situação preocupante devido ao seu elevadíssimo nível de contágio.

Maria de Deus Lima revelou que das 77 amostras enviadas para o Instituto Pasteur de Dakar, 24 já forma analisadas e duas confirmaram a variante inglesa. Há 53 ainda por conhecer os resultados.

África do Sul avança com a maior campanha de vacinas do continente
please wait

No media source currently available

0:00 0:03:54 0:00

As análises que revelaram a presença do vírus foram recolhidas na ilha de Santiago, mas também foram enviadas amostras colhidas em São Vicente, Santo Antão, Boa Vista e Fogo.

Lima não revelou a provável data da entrada do vírus no arquipélago, mas as amostras foram recolhidas em Dezembro de 2020, Janeiro e Fevereiro de 2021.

“A confirmação desta variante é preocupante tendo em conta o seu grau de contaminação, por isso insistimos no reforço de implementação forte de medidas preventivas”, alertou Maria da Luz Lima, quem reiterou o apelo de que “todos devem cumprir de forma rigorosa as medidas sanitárias preventivas”.

A presidente do INSP acrescentou que outras amostras para analisar as variantes do vírus também foram mandadas para o Instituto Ricardo Jorge, em Portugal.

Entretanto, as autoridades cabo-verdianas não conseguem determinar ainda o impacto dessa nova variante no país.

Na mesma conferência de imprensa, o Director Nacional de Saúde, Jorge Barreto, admitiu que devido à sua maioria capacidade de transmissão e de provocar casos muito mais graves, era de esperar um número muito maior de casos nesta altura.

“Não temos tido uma diminuição da capacidade de diagnóstico, estamos a utilizar tanto o PCR como o teste rápido de antigénios que são válidos para identificar essa variante, só não nos diz que é esta variante", afirmou Barreto.

Nesta segunda-feira, 1, foram registados mais 32 casos do novo coronavírus no país, aumentando o total acumulado para15.432 e 147 óbitos.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG