Links de Acesso

Austrália e EUA reforçam cooperação na Defesa


Secretário de Estado americano, Antony Blinken, (esq), primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese (centro) e Secretário da Defesa americano, Austin Lloyd, (dir). em Brisbane, Austrália, 28 julho 2023
Secretário de Estado americano, Antony Blinken, (esq), primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese (centro) e Secretário da Defesa americano, Austin Lloyd, (dir). em Brisbane, Austrália, 28 julho 2023

A Austrália vai receber mais tropas americanas, mais aviões americanos, mais navios americanos e mais armas americanas, à medida que os dois aliados dão o que as autoridades descrevem como um "passo importante" no reforço e expansão da sua aliança militar.

Os Estados Unidos e a Austrália revelaram os acordos para aumentar a presença rotativa das forças e capacidades americanas e para ajudar a integrar a Austrália nas principais capacidades de produção de defesa dos EUA no sábado, após horas de conversações entre os principais funcionários diplomáticos e de defesa dos EUA e da Austrália.

"A Austrália, neste momento, não tem melhor amigo do que os Estados Unidos", disse o ministro da Defesa australiano, Richard Marles, aos jornalistas após a conclusão da 33ª Consulta Ministerial anual Austrália-Estados Unidos em Brisbane, Austrália.

Marles disse que os acordos incluem uma maior presença rotativa dos EUA nas bases militares do norte da Austrália, visitas adicionais de navios e aeronaves de patrulha e reconhecimento marítimo dos EUA e "um aumento do ritmo de visitas de submarinos movidos a energia nuclear dos EUA" até que a Austrália possa adquirir os seus próprios submarinos com a ajuda dos EUA.

Igualmente importante, de acordo com as autoridades americanas e australianas, os novos acordos abrirão caminho para que a Austrália se junte aos EUA na produção de mísseis e munições numa altura em que a guerra na Ucrânia, e o apoio ocidental, corroeu os principais stocks.

"Esperamos que o fabrico de mísseis comece na Austrália dentro de dois anos", disse Marles.

O foco inicial será a produção australiana de sistemas de foguetes guiados de lançamento múltiplo, também conhecidos como GMLRS. No entanto, as autoridades americanas disseram que Washington também pretende apoiar a produção australiana de projécteis de artilharia de 155 mm, que têm sido muito procurados na Ucrânia.

"Essas iniciativas fortalecerão nossa capacidade de responder a crises na região e, ao mesmo tempo, aumentarão nossa interoperabilidade", disse o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, descrevendo os esforços como um "grande passo" para a base industrial de defesa dos EUA e da Austrália.

Fórum

XS
SM
MD
LG