Links de Acesso

Após ameaças ao STF, Bolsonaro volta atrás e diz que “não teve intenção de agredir”


Presidente brasileiro Jair Bolsonaro discursando durante manifestação em Sao Paulo, Brasil, a 7 de Setembro 2021, no Dia da Independência do Brasil

A carta de hoje foi divulgada por um conselho do ex-presidente Michel Temer, que conversou com Bolsonaro. Temer orientou o atual presidente a escrever um manifesto de pacificação.

O presidente Jair Bolsonaro divulgou nesta quinta-feira, 9 de setembro, um documento intitulado como “Declaração à Nação”, onde ele afirma que “não teve a intenção de agredir quaisquer dos poderes. No texto, o presidente também diz que “ as pessoas que exercem o poder não têm o direito de esticar a corda, a ponto de prejudicar a vida dos brasileiros e da economia”.

O tom é o oposto ao adotado por Bolsonaro nesta semana, no dia sete de setembro, Dia da Independência do Brasil. Nos protestos convocados por ele, o presidente afirmou que não cumpriria mais nenhuma decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. Também fez ameaças que, caso o ministro não se enquadrasse, o governo poderia dar um golpe.

A carta de hoje foi divulgada por um conselho do ex-presidente Michel Temer, que conversou com Bolsonaro. Temer orientou o atual presidente a escrever um manifesto de pacificação. Depois do discurso do dia 7, a economia brasileira sofreu um baque. Na Bolsa de Valores, as empresas tiveram uma desvalorização superior a US$ 195 bilhões de reais. Nas estradas, os caminhoneiros pararam as entregas de alimentos, o que fez, mais uma vez, os preços dispararem no mercado.

Ao longo do texto, Bolsonaro credita a crise institucional por causa de “discordâncias” em relação a decisões de Moraes. O presidente disse também que deve resolver a situação na justiça.

Durante o encontro entre Bolsonaro e Temer, o ex-presidente também fez a ponte para uma ligação com Moraes, o alvo das ameaças. No texto, Bolsonaro também disse que suas palavras foram ditas no calor do momento e disse que estå disposto a manter o bom diálogo.

Leia abaixo o texto completo de Jair Bolsonaro:

Declaração à Nação

No instante em que o país se encontra dividido entre instituições é meu dever, como Presidente da República, vir a público para dizer:

1. Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar.

2. Sei que boa parte dessas divergências decorrem de conflitos de entendimento acerca das decisões adotadas pelo Ministro Alexandre de Moraes no âmbito do inquérito das fake news.

3. Mas na vida pública as pessoas que exercem o poder, não têm o direito de “esticar a corda”, a ponto de prejudicar a vida dos brasileiros e sua economia.

4. Por isso quero declarar que minhas palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum.

5. Em que pesem suas qualidades como jurista e professor, existem naturais divergências em algumas decisões do Ministro Alexandre de Moraes.

6. Sendo assim, essas questões devem ser resolvidas por medidas judiciais que serão tomadas de forma a assegurar a observância dos direitos e garantias fundamentais previsto no Art 5º da Constituição Federal.

7. Reitero meu respeito pelas instituições da República, forças motoras que ajudam a governar o país.

8. Democracia é isso: Executivo, Legislativo e Judiciário trabalhando juntos em favor do povo e todos respeitando a Constituição.

9. Sempre estive disposto a manter diálogo permanente com os demais Poderes pela manutenção da harmonia e independência entre eles.

10. Finalmente, quero registrar e agradecer o extraordinário apoio do povo brasileiro, com quem alinho meus princípios e valores, e conduzo os destinos do nosso Brasil.

DEUS, PÁTRIA, FAMÍLIA

Jair Bolsonaro

Presidente da República federativa do Brasil

  • 16x9 Image

    Edgar Maciel

    Edgar Maciel é jornalista multimédia desde 2011, formado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, no Brasil. Nos últimos anos, acumulou experiências em importantes rádios, canais de TV e portais de Internet brasileiros.

    Baseado em São Paulo, actualmente é coordenador multimédia da revista Veja e correspondente da Voz da América. Como principais temas, cobre política, sociedade e cultura brasileira.

     

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG