Links de Acesso

Angola: Punição do presidente do sindicato dos médicos continua a dividir a classe e autoridades


Dr. Adriano Manuel, presidente do Sindicato Nacional dos Médicos

Neste sábado, os médicos realizaram uma marcha em Luanda para exigir justiça. 

O afastamento compulsivo e mediático do médico Adriano Manuel, em julho, continua a causar muita crispação entre classe médica e o ministério de Silvia Lutukuta.

No centro da crispação prevalece a questão da suspensão e o processo disciplinar instaurado contra o presidente do sindicato dos médicos, por ter denunciado a morte de 19 crianças, em menos de 48 horas, no Hospital Pediátrico de Luanda, alegadamente por falta de profissionais e ventiladores.

Além da suspensão, Manuel perdeu todos os subsídios e foi exonerado do cargo de chefe de controlo de infecções hospitalares do Hospital Pediátrico Luís Bernardino.

Os médicos filiados ao sindicato dizem que a situação é de tamanha injustiça e inadmissível numa democracia, uma vez que o seu colega criticou uma situação grave que poderia elevar o índice de mortalidade infantil.

Os médicos solicitaram o cancelamento da suspensão, mas não tiveram resposta das autoridades.

Neste sábado, os médicos realizaram uma marcha em Luanda para exigir justiça.

Franscico Domingos, director do Hospital Pediátrico, defendeu-se alegando que existiram motivos suficientes para a instauração do processo disciplinar.

Acompanhe:

Angola: Punição do presidente do sindicato dos médicos continua a dividir a classe e autoridades
please wait

No media source currently available

0:00 0:15:10 0:00


Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG