Links de Acesso

Angola Fala Só: Bilhete de Identidade de Adalberto Costa Júnior


Adalberto Costa Júnior, líder da UNITA, Angola

Nesta Sexta-feira, 14 de Fevereiro, o Angola Fala Só tem como convidado Adalberto Costa Júnior, líder da UNITA. Costa Júnior encontrou-se com o Presidente João Lourençou na Quarta-feira da semana anterior, 5, para conversar sobre a revisão constitucional, a reestruturação da Comissão Nacional Eleitoral (CNE) e a devolução do património da UNITA.


Formado em Engenharia Electrotécnica, a política entrou na sua vida ainda muito jovem. Tem cartão de militante da UNITA desde 1975, que integrou por influência familiar e algumas situações que reforçaram convicções e que o afastaram do MPLA, exemplo o 27 de Maio.

Nome: Adalberto Costa Júnior

Data de Nascimento: 8 de Maio 1962

Local de Nascimento: Quinjenje (na altura pertencia a Benguela, actualmente pertence administrativamente ao Huambo)

Estado civil: Casado

Filhos: 3

Profissão: Actual presidente da UNITA. Foi eleito deputado em 2017. Trabalhou como diplomata de 1989 até 2002. Foi representante da UNITA em Portugal, Espanha, Itália.

Formação: Engenharia Electrotécnica pelo Instituto Superior de Engenharia do Porto; Formação em Ética Pública na Universidade Gregoriana em Roma

Destino em Angola: Serviço - gostava de ser autarca de Benguela, deixar a confusão de Luanda

Lema de vida: "O político deve servir e não servir-se"

Curiosidades: Gostava de se dedicar à família, quando tiver mais tempo e à educação, gostava de leccionar um dia para passar o conhecimento

Hobbies: Não tem muito tempo fora da vida política ("Angola está a regredir e rouba-nos mais tempo")

Música: Sempre que pode sai para ouvir boa música, porque "é preciso interagir e passar a mensagem de uma sociedade que se está a desenvolver"
O semba é a música que mais lhe toca a alma, mas ouve de tudo um pouco consoante o estado de espírito.

Onde estava 11 de Novembro de 1975?
"No Seminário do Quipeio, na Cáala (Huambo), que formou muito boa gente, formação de excelência. Os padres anteciparam-nos algum conhecimento do processo político-histórico. A revolução dos cravos não nos apanhou completamente no escuro. Todos tínhamos famílias na guerra, portanto víamos uma oportunidade de paz, foi um momento de grande euforia".

XS
SM
MD
LG