Links de Acesso

Angola: Enfermeiros apoiam greve dos médicos que acusam Governo de requisição civil ilegal


Médicos em greve, Malanje, Angola

Médicos afirmam que Governo contra profissionais recém formados para contornar greve que vai na segunda semana

O Sindicato dos Enfermeiros de Luanda condenou nesta terça-feira, 14, o recrutamento de novos profissionais para substituirem os médicos em greve, a quem manifesta a sua solidariedade.

O seu secretário-geral, Afonso Kileba, disse à VOA que a "requisição civil”, prevista na lei, não se aplica ao caso da paralisação dos médicos porque “só é possível em caso de sinistro ou calamidade”.

Enfermeiros solidários com greve de médicos angolanos – 2:47
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:46 0:00

Estas declarações de Kileba surgem na sequência da denúncia feita na segunda-feira,13, pela médica Jandira da Silva, segundo a qual o Ministério da Saúde estará a recrutar “militares e médicos recém-formados para assegurar a assistência aos doentes”.

“O Ministério da Saúde está a contratar médicos bolseiros recém-formados recentemente em Cuba para substituírem os grevistas”, garantiu Silva.

Em declarações à Rádio Luanda, aquela profissional assegurou que “a greve vai continuar, por tempo indeterminado” e anunciou que, a nível capital do país, os profissionais vão realizar marchas e vigílias em alguns hospitais durante esta semana com vista a pressionar a entidade patronal a satisfazer as reivindicações da classe.

Também ontem, a ministra Silvia Lutucuta avisou, em conferência de imprensa, que a instituição vai aplicar faltas se os grevistas não voltarem ao trabalho.

“O médico que não for trabalhar tem falta”, advertiu.

Desde o dia 6 de Dezembro, o Sindicato Nacional dos Médicos Angolanos (SINMEA) lidera a greve que pretende levar o Governo a responder às reclamações que contam do caderno reinvindicativo entregue à tutela, na qual constam a melhoria salarial, a segurança dos profissionais da classe, a melhoria do sistema de saúde, a melhoria da assistência primária, a humanização dos serviços, a recolocação do médico e presidente da organiação, Adriano9 Manuel, entre outros pontos.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG