Links de Acesso

Angola ainda não substituiu dependência no petróleo


A importância do sector petrolífero na economia angolana caiu mas não foi substituída por outras fontes internas de rendimento, disse no Sumbe o ministro de estado para a coordenação económica Manuel Nunes Júnior.

Economia angolana ainda dependente do petróleo -1:48
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:48 0:00

“Embora se verifique uma diminuição do peso do sector petrolífero na economia nacional a redução não se traduziu ainda numa alteração estrutural das exportações e das receitas do Estado sobretudo das receitas em moeda externa que vulgarmente chamamos de divisas”, disse.

“É uma realidade que temos de alterar e para tal teremos que trabalhar com rigor, com disciplina e bem focados no propósito de alterar em termos definitivos a actual estrutura económica de Angola”, acrescentou.

Manuel Nunes Júnior apontou o programa de apoio a produção nacional, a diversificação das exportações e substituição das importações (PRODESI) como antídoto para inverter o quadro do modo devida dos angolanos

“Neste domínio o principal instrumento ao dispor do executivo é o programa de apoio à produção nacional, a diversificação das exportações e da substituição de importações conhecido a nível nacional como sendo o PRODESI”, disse o ministro para quem “este programa na sua essência estabelece uma verdadeira aliança entre o Estado e o sector privado com vista ao aumento da produção nacional, de rendimento dos cidadãos e do combate a fome e a pobreza”.

Com o PRODESI prosseguimos objectivos muito claros sendo que uma das suas prioridades e, a primeira é que atinjamos a autossuficiência no que respeita a produção alimentar”, acrescentou.

Nunes Júnior fez notar que“presentemente a agricultura familiar é responsável por mais de 70% da produção de cereais, de raízes e tubérculos, de leguminosas e oleaginosas e, envolve cerca de três milhões de famílias”.

“Neste domínio o executivo está implementar dois importantes planos de ação : o plano de ação de aceleração da agricultura familiar e o plano de ação do comércio rural. Com estes dois planos de ação, pretendemos aumentar a produção e a produtividade no domínio agropecuário e das pescas, bem como instalar em Angola um sistema eficiente de escoamento da produção do meio rural para os centros de consumo”, acrescentou.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG