Links de Acesso

Analistas apontam medo e benefício ao Governo para fraca adesão a protestos em Angola


Praça 1o. de Maio, palco de manifestações em Luanda

Apenas Luanda registou manifestação contra desemprego

O desemprego foi tema para a convocação de manifestações em, pelo menos, 12 províncias angolanas no passado fim-de-semana, mas apenas em Luanda o protesto aconteceu.

Pouco menos de 500 jovens manifestaram-se pacificamente por algumas ruas da capital, enquanto em Cabinda e Malanje a detenção pela polícia dos principais organizadores frustrou a intenção dos desempregados de se manifestarem.

Analistas apontam várias causas que podem estar por detrás da apatia que se regista na adesão às manifestações, como medo de repressão policial e a expectativa criada à volta do novo Governo.

O analista Faustino Mumbica aponta o “medo como” uma forte razão para a falta de adesão das pessoas e admite ainda que possa haver “uma pressão psicológica exercidas obre os jovens”.

O jornalista Ilídio Manuel alinha pelo mesmo diapasão mas acrescenta que muitos angolanos acreditam nas intenções do novo Governo a quem preferem dar o benefício da dúvida.

As manifestações de jovens desempregados visavam pressionar o Governo de João Lourenço a olhar com maior atenção para as questões relacionadas com a juventude, em particular o emprego, num país em que, segundo dados oficiais, 45 por cento deles estão sem trabalho.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG